Famas auto-sustentáveis: “Mineiro que come quieto”

Uma coisa muito importante na vida de muita gente é a reputação. Sim, a reputação, a fama, a imagem, aquilo que as pessoas vêem, esperam e consideram em uma pessoa. Fama de mau, fama de pegador, fama de violento, fama de sensível, fama de gay, fama, como um todo. E claro, quando você consegue uma fama ou quer conseguir uma fama você precisa fazer por onde, precisa tomar atitudes que justifiquem essa fama ou que pelo menos te ajudem a manter essa fama depois que você já conseguiu justificá-la. E depois de vir morar no Rio eu descobri que nós de Minas somos agraciados com uma das famas mais fáceis de manter que existem: a fama de come quieto.

A fama de “come-quieto” nasceu basicamente de alguma idéia distorcida que cariocas, paulistas, gaúchos ou seja lá quem for em algum estado que não Minas, teve de que os mineiros são discretos, pacatos e não costumam fazer alarde de seus feitos e conquistas. O que bem, como eu disse, é uma idéia distorcida. Mineiros são tão ou mais exibicionistas do que os habitantes de qualquer outro estado, com o agravante de terem um espírito de competitividade bem mais aguçado (se os gaúchos querem se separar do resto do Brasil porque se acham melhores, os mineiros querem o resto do país bem pertinho pra que todo mundo veja o quanto eles são melhores e eles ainda possam gritar “na sua cara!na sua cara!”) e eu realmente nunca reparei no homem mineiro nenhum tipo de discrição que superasse a média dos outros estados. Ou seja, é uma dessas generalizações que poderiam fazer sentido antigamente mas hoje não querem dizer mais nada, basicamente como a idéia de que todo paulista trabalha ou todo acreano é um personagem de ficção.

Mas por alguma razão que eu não entendo esse conceito de que “mineiro come quieto” ainda existe no Rio e eu, sendo teoricamente mineiro (eu vim de Minas, logo sou mineiro. É como acreditar que o leite é feito de papelão porque você viu ele saindo da caixinha, mas tudo bem) e sendo, ao menos em boa parte das situações de trabalho, quieto, acabei me enquadrando na situação. E foi só aí que eu descobri que essa fama é não só de fácil obtenção e manutenção como praticamente se alimenta sozinha, se nutrindo dos próprios pressupostos.

Vamos lá: eu sou mineiro e eu sou quieto. Logo as pessoas supõem que eu estou fazendo alguma coisa de muito impressionante, porém sem divulgar ou mencionar. E quanto mais eu fico quieto mais elas começam a concluir que eu estou realmente fazendo alguma coisa, afinal, se quando eu fico quieto é porque eu estou fazendo alguma coisa, quando eu ficar muito quieto é porque eu devo estar realmente fazendo alguma coisa, e uma coisa sórdida. Por exemplo, se alguém vem e pergunta o que eu fiz e eu digo que, sei lá, fiquei em casa lendo, a pessoa concluí que eu fui a uma orgia com virgens, iogurte de morango e um bode. Se eu digo que fiz uma maratona de Heroes em casa a pessoa concluí que eu desvirtuei 36 moças e voltei pra casa fantasiado de panda. Eu apenas tenho que ficar quieto e a própria pessoa, baseada na fama que ela mesma me deu, inventa toda uma gama de coisas. Fácil, não?

Mas vamos supor que, ok, eu resolvi falar alguma coisa, visando perder essa fama. Rodinha do pessoal, todo mundo resumindo o final de semana e eu digo que saí. Saí, fui numa festinha, bebi um bocado, me diverti. Isso acaba com a fama? Não, nada disso! A frase que vai seguir a minha é um “não falei, não falei? Esse cara não presta, mineiro é tudo assim mesmo, deve arrumar um monte e nunca conta nada pra ninguém!”. Sim, isso é retroalimentação argumentativa e sim, acontece mais do que você imagina.

E daí surge toda a facilidade da construção da idéia de “mineiro come quieto”: se eu fico quieto  estou aprontando sem contar, destruindo o mundo de dentro da moita; e se eu falo alguma coisa eu estou apenas confirmando aquilo que todo mundo já imaginava, que eu estou envolvido em altas confusões em clima de muita azaração e nunca conto nada pra ninguém, só deixando escapar alguma coisinha de vez em quando. Sim , é fácil aqui no Rio ter fama de mineiro que come quieto. O foda é aguentar as piadas sobre queijo. Sim, isso acontece mais do que você imagina.

Anúncios

18 Comentários

Arquivado em Crônicas, Mundo (Su)Real

18 Respostas para “Famas auto-sustentáveis: “Mineiro que come quieto”

  1. ThiagoFC

    Ó, Minas Gerais….

    E sobre o post anterior, não deixe de conferir uns links que deixei pra você ver.

  2. Fazer e não falar é quase tão bom quanto nem fazer, mas alguém espalhar que você fez. É bom ser mineiro…

  3. Ronaldinho

    É Joãozinho vc tem que se lembrar dos ensinamentos antigos, aqueles de Viçosa: “come quieto, come sempre e faz cara de inocente” e o lendário “mulher chumbinho, mulher chumbinho, comeu, morreu!”. É mais ou menos por aí!

  4. Marília

    Só digo uma coisa: ansiosíssima pelo post sobre o gênio romântico Alexandre Pires.

  5. “destruindo o mundo de dentro da moita…” hahaha, muito bom!
    e concordo com você, conheço um número razoável de mineiros, a família de minha mãe é toooda de Barbacena (quando eu era pequenininha lá em Barbacena…), e eles não tem nada de come quieto! mas isso não é só com mineiros não, quietinhos em geral tem fama de ‘come quieto’. ou, o mais comum, de ‘mineirinhos’. yep.

  6. Isso é muito verdade! Minha mãe carioca mora em Minas há mais de 25 anos e ainda tem disconfianças com mineiros porque “comem quieto”. O fato de ela ser viciada em teorias de conspiração não ajuda muito, claro.
    hahahaha

  7. vailan

    Ah, Jão, para de história, se vc comesse ou vier a comer, um outdoor deixaria a ociosidade, huhhauhauau.

    Vc é o mineiro menos mineiro que conheço, vc come e logo vem um arroto, pra não deixar dúvidas. seu blog é piz, mermão, inteh.

  8. Juninho

    “e se eu falo alguma coisa eu estou apenas confirmando aquilo que todo mundo já imaginava, que eu estou envolvido em altas confusões em clima de muita azaração e nunca conto nada pra ninguém”

    Impressionante, não?

    E as piadas sobre queijo realmente acontecem com uma frequencia assustadora… Quantas pessoas já perguntaram pra você onde se consegue um bom queijo minas?

  9. urlan

    Piada sobre pão de queijo que eu escutei aqui em Curitiba:

    “Mineiro, você gosta de mulher???”
    “Gosto uai.”
    “E de quejo?????”
    “Viiiiiiiixi!”

    hehehehe

  10. Pa

    hahahaha, pode ser mesmo que pra maioria essa fama não sirva…
    mas eu sou mineira, sou quieta e das minhas façanhas só eu sei, não conto pra niguém!!! Podem até imaginar orgias e tudo mais, mas são coisas bem simples e inocentes…rsss
    Deve ser porque você já é um carioca!!! Falam mais do que fazem realmente!!!
    A propaganda é a alma do negócio. Não em todos casos.

  11. Suzana

    Me escangalhei de rir com o jeito que se defendeu. Tb sou contra rótulos… Mas adorei sua explicação.

  12. Jefferson

    Mitos parte, mas os mineiros que conheci até hoje são una miseráveis mesmo, isso é fato.

  13. Agnaldo Ferreira da silva

    Se eles são come quieto eu não sei, mas que são falsos, isso são…
    Quanto a mineiras na boa o Paulista aqui já comeu várias…

  14. Gustavo

    Mineiro é falso mesmo, aproxima-se se tem algo que levar.

  15. Mario

    Mineiro e falso trabalho com um monte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s