Top 5 – Traços femininos um tanto quanto aterrorizantes

Efusividade excessiva: Ela é efusiva, alegre, animada, pra cima, felizona. E isso é bom, claro. Isso é sensacional, isso é fantástico. Mas ela é assim quando vocês saem, quando vocês chegam em casa, quando vocês dormem, quando vocês brigam, quando vocês transam, quando vocês visitam seus pais, quando vocês acordam, quando vocês bebem, quando vocês passam mal, quando vocês batem de carro, etc. Ela simplesmente não consegue parar de ser animada e efusiva, seja qual for o momento. Sabe quando você acorda as seis gripado e está ranzinza, chato, irritado? Ela está efusiva. Sabe quando seu chefe usou seu relatório de metas pra assoar o nariz e atirou na sua mesa? Ela está efusiva. Sabe quando você foi preso porque deixou seu amigo guardar uma bolsa na sua casa e aquilo tudo não era orégano? Ela está na delegacia, efusiva. E finalmente você entende porque não existiam casais normais naquele maldito desenho dos ursos Gummy.

Falar com voz de criança: Não, não vou negar que eu realmente ache uma certa graça em uma guria vestida de colegial, com rabo de cavalo e um pirulito dizendo “fui uma menina má, me castigue” (ainda que eu ache que não é lá tão saudável compartilhar esse tipo de pensamento com todos vocês), mas para tudo existem limites. E um deles é o uso de voz de criança em momentos em que ela não seja muito adequada ou considerada socialmente justificável, principalmente em locais públicos. Além do fato de que uma pessoa adulta falando como se fosse criança é sempre meio estranho (eu sei disso, eu já vi TV Globinho), quando isso se torna um hábito a situação começa a caminhar do desconfortável para o aterrorizante e te faz questionar a sanidade da pessoa. Afinal, uma coisa é “fui uma menina má, me castigue” dita com voz de garotinha dentro de um quarto a e outra totalmente diferente é “cadê o grampeador, João?” dito com voz de menininha no meio do escritório. Corram, corram, fujam para as montanhas, sério.

Multipolaridade: Algo que é sempre impressionante em certas mulheres é a capacidade para mudar rapidamente de humor. Não falo apenas de alternar felicidade e tristeza, porque isso é até normal e muita gente muito sensível é assim, mas eu falo alternar de forma totalmente randômica e súbita o humor, o temperamento e o comportamento de uma forma que faria com que tanto Jack Nicholson em “O Iluminado” quanto Forrest Whitaker no “Último rei da Escócia” saíssem chorando em busca de suas mães, atônitos. Ela começa a frase rindo, termina chorando, entra na frase seguinte séria e termina a conversa segurando uma faca e uma boneca sem cabeça enquanto escreve “redrum” na sua camisa com vinho. Muito assustador.

Sensualidade descontrolada: Sensualidade é uma coisa relativa, assim como o tempo, o espaço e a sua visão de mundo após 5 tequilas.Ainda mais porque cada mulher tem um tipo de sensualidade diferente. Algumas mulheres se tornam sexys pela inteligência, outras pelo senso de humor, outras por gestos, atitudes, roupas. São vários os fatores que podem levar uma mulher a te deixar respirando mais rápido, meio suado e um tanto quanto confuso (se você for asmático os fatores aumentam mais ainda, eu acho). Mas boa parte das mulheres parece considerar que a sensualidade nasce apenas da exposição física e dos “gestos simuladores de sexo” o que te deixa em algumas situações absolutamente desconfortáveis. Afinal, uma coisa é uma garota que consegue ser inteligente de forma sexy e atraente e outra totalmente diferente é uma garota que não consegue pegar algo no chão sem mostrar a calcinha ou colocar qualquer coisa na boca sem simular sexo oral com essa coisa.

A legião dos ex-namorados assassinos: Uma coisa que eu aprendi na vida é que toda garota tem uma história e nenhum cara pode ter memória. Eu digo isso porque baseado nas minhas experiências pessoais anteriores eu concluí que quase toda mulher adora falar dos ex mas simplesmente odeia que um cara comente algo sobre namoradas anteriores, já que ela falar do passado é “sinceridade” e você falar do passado é “ser incapaz de esquecer aquela vaca”. Mas mesmo assim você sempre pode aprender muito sobre uma garota escutando tudo que ela tem a dizer sobre os ex, indo desde o fato de que ela ainda fica com ele (“nós temos uma relação boa e ainda saímos juntos…como amigos…amigos carinhosos…e nem sempre vestidos…entende?”), odeia ele (“não é que eu guarde rancor…mas…uma vez eu comprei um vidro de ácido e…”) até mesmo o fato de que ela só tem ex-namorados perturbados (“não olha agora, mas…tá vendo aquele corcunda de gorro ali dentro do Chevette?”). E isso é, na melhor das hipóteses, estranho. Ok, claro, todo mundo tem uma história, um passado, mas por que razão no passado dela todo mundo é maluco? Um internado, outro preso, o terceiro se suicidou, aquele lá entrou num shopping atirando e por aí vai. E qual o fator comum entre esses caras? Terem namorado a menina com quem você está de mãos dadas. É, realmente complicado.

Anúncios

12 Comentários

Arquivado em Top

12 Respostas para “Top 5 – Traços femininos um tanto quanto aterrorizantes

  1. Tenho que confessar minha inclusão nos casos 3 e 5… =(

  2. Ri demais! Confesso que sou altamente efusiva! Até quando um ex terminou comigo, eu passei horas e horas sorrindo (não que eu estivesse feliz por isso, mas é por que eu sou efusiva mesmo em todas as situações!).
    Já essa história de falar (e digitar também) como criança, eu odeio!
    Não sofro de multipolaridade e realmente tenho medo de pessoas assim…
    Sensualidade também não é o meu forte!
    Mas a história dos exs é verdade! Eu já tive essa fase de sempre falar do ex pro atual, é uma coisa chata, eu sei, mas não consigo evitar, a gente não devia ter esse tipo de memória!
    E quando é ele que fala dela, aí a confusão é maior mesmo, sempre achamos que ele ainda não a esqueceu e odiamos quando ele ainda fala com a ex (mesmo quando a gente também faz o mesmo).

  3. Fran

    Mew…eu devo ter algum problema…
    Diferente das duas outras meninas, eu nao me encaixo em nenhuma dessas categorias…fiquei com medo agora…srrsrs
    Eu estou numa categoria a parte…As que enjoam rápido demais da rotina do namoro.
    Acho que eu preciso namorar um mágico viajante e publicitario criativo nas horas vaas pra nunca ter a mesma rotina entediante…
    Adorei o Top…se eu fizesse um o meu teria uns 10 ou 20 rsrrs

    Bjao

  4. “Toda garota tem uma história e nenhum cara pode ter memória”. Realmente, João, depois dessa vc se transforma em um profeta, cara, um arauto, sabe, tipo… quase um velhinho chinês-careca-de-barba-com-bata. Sua sabedoria vai a pontos onde Sun Tsu, Dalai Lama e Chandler Muriel Bing esbarraram, mas nunca alcançaram totalmente.

  5. Tenho a teoria de que, não fosse a atração sexual e a carência afetiva, eu não me envolveria com mulheres nem se me ameaçassem escalpelar com uma caneta bic.

    • Moha

      Caraca Zé essa sua resposta foi a melhor. Eu penso assim também é chego a ser até mais grosseiro. Se mulher não tivesse o seu órgão sexual talvez eu não conseguisse sequer conversar com muitas delas. Adoro bu . . . . sou carente, acho insuportável falar com voz de criança fora das quatro paredes. Acho isso um tipo de patologia mental, sei lá. Trauma de infância com um amor masculino. Parece mesmo que a garota está falando com o pai e não com o namorado ou companheiro seja lá o que for… Na verdade eu to desesperado. A minha está fazendo isso a todo momento que fala comigo. Ferrou total!!! Pior do que ser efusiva é ser depressiva, preguiçosa, problemática ou pessimista, controladora, manipuladora e desanimada. Assim até o sexo que é bom com a garota super sensual fica a ser tão bom que dá até ejaculação precocessissimo. Oi. Acabou. chato. monótono. Acho que eu comer um pote de sorvete de chocolate com sucrilhos e bolar um
      Plano de fuga.

  6. Juninho

    Ah! As vozes de criança na rua denigrem a imagem de qualquer pessoa séria…

  7. quem lê esse seu post provavelmente pensa que você é um grande conhecedor de mulheres.

    eu concordo.

  8. Elisa

    Eu não falo muito de ex porque o histórico é assustador.

    Mas vario bastante entre a multipolaridade, a efusividade excessiva e a voz de criança.

    Casa comigo?

    AHUEHUEHAUHEuaHEUAHaUEuhAE

  9. Aaahnnn… Pensando bem, eu particularmente gosto que falem com voz de criança :$ Isso me colocou numa posição meio estranha, agora… Quanto às demais categorias, não sei se por sorte (ou por azar) nunca conheci nenhuma participante das demais. Talvez a nº 5 =/

  10. alice

    eu mudo de humor mto fácil, confesso

    falar de ex eu evito… até faço comparações na minha cabeça (tipo “nossa, qd ele fala assim parece até aquele traste… já vi isso antes”), mas n expresso =P

    btw, meu ex gostava de voz de criança e eu até fazia, às vezes, por charminho, mas ele curtia falar tb! (um “mozinho” com voz normal pode até ser fofo, mas “mojiiiiinho” com voz de bebê? total freak me out)

  11. Fernando

    Mto bom cara… estou escrevendo uma peça de teatro.. posso usar alguns comentários que colocou aqui?? Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s