Coisas que me irritam no trabalho #76, #77 e #78

#76: As fendas no espaço-tempo – Eu acho que nenhuma faculdade de física ou livro do Stephen Hawking pode ensinar tanto sobre a maleabilidade do tempo e a existência de uma quarta ou quinta dimensão quanto um trabalho na área de comunicação. Afinal, um projeto que foi repassado pra você sem prazo nenhum (“ah, vai fazendo, não tem pressa, é só pra começar a o desenvolvimento”) se torna subitamente um projeto com um prazo de três meses, que você, esforçadamente, entrega em dois meses para seu chefe, que, assim como o Entei, diz que tá tudo bem agora. Mas então, depois de quatro meses, ele pega novamente o projeto, diz que está todo errado e, numa sexta, as 15:28, te avisa que precisa estar tudo pronto pra segunda de manhã, porque ele precisa revisar antes da apresentação para o gerente na segunda a tarde. E claro, aí você ouve ao fundo uma voz que diz: “É a dimensão da fantasia. Uma região…Além da Imaginação!”. Mas não, não entra o Sérgio Mallandro pra gritar “rááá!” e cantar a música do ovo pra você.

#77: Demandas flutuantes – Imagine uma padaria. Agora imagine você entrando numa padaria. Agora imagine que você quer algo dessa padaria. Então você vai até o rapaz do balcão (imagine que o rapaz do balcão sou eu. mas não me imagine com aquele chapeuzinho branco, senão você vai rir e o conceito vai se perder) e faz o seu pedido pra ele. Agora imagine que ao invés de especificar exatamente o que você quer (“eu quero seis pães, por favor”), você apenas diz que quer algo feito de trigo, mas não especifica o que. Aí eu te trago um pão. E você diz que não é isso. Então eu pego um bolo. E você diz que também não é. Então eu trago uma torta. E você diz que é uma torta, mas não essa. Aí eu faço todas as tortas que eu sei fazer. E você diz que se confundiu e não era exatamente uma torta. Na verdade você nem tem mais certeza se era de trigo. Mas está com pressa e quer aquilo que você pediu pronto o quanto antes. Se você achou isso tudo absurdo e surreal demais então você não duraria meia hora onde eu trabalho.

#78: A síndrome de Neto – Eu sempre acreditei que poucas coisas dão mais prazer ao ser humano do que falar sobre algo que ele desconhece total e completamente. O Neto teoriza sobre futebol, a Cláudia Rodrigues tinha um programa de humor, eu escrevo sobre relacionamentos, a Sônia Abrão tem um programa com jornalismo: são casos óbvios de pessoas dando palpites sobre temas que elas sem dúvidas não dominam e nem tem bagagem teórica necessária para opinar. Por isso nada mais natural do que, sendo você um dos poucos profissionais da sua área em sua gerência, que todos os outros profissionais de todas as outras áreas dêem palpites em tudo que você faz, com sugestões, críticas e mudanças sem te avisar ou consultar, porque, afinal de contas, você sempre esteve lá sugerindo mudanças nos projetos dos engenheiros, no método de organização das secretárias e nas planilhas dos administradores. Ah, desculpe, você nunca fez isso.

Anúncios

13 Comentários

Arquivado em Sem Categoria

13 Respostas para “Coisas que me irritam no trabalho #76, #77 e #78

  1. Muito Fernanda Young você com esse post. Mas de tudo, o que me colocou pra refletir foi a coisa 79: você podia ter colocado uma foto daquela cena de escritório do filme O Procurado (brinks :)

  2. Ah, então eu não estou imaginando coisas: a vida é assim mesmo!

  3. Caray. A #77 é verdade. E como é. Eu achava que era algo específico de donos de mercado de Maricá, mas não! Parece que a praga se dissemina…

  4. ThiagoFC

    Eu te imaginei com o chapeuzinho branco! hehehe

    E, pô, o Neto é o cara, ele é foda!! O que você diz de um cara que carregou ao título brasileiro, quase sozinho, um time que tinha Guinei e Jacenir na zaga?

  5. só te imaginei com o chapeú branco porque tocou no assunto. e sim, síndrome de Neto é algo complicado de lidar.

  6. As vezes eu acho que você odeia seu trabalho! kkkkkkkk
    Mas realmente é chato fazer uma coisa e depois dizerem que não era bem isso e mandarem você fazer outra coisa completamente diferente!
    Muito boa a metáfora da padaria!

  7. Quase tudo me irrita no trabalho. Mas eu to tentando trabalhar isso.. Esse negocio de se irritar com tudo não é legal.

    Acho que falar pra não imaginar o chapeuzinho branco é pedir pra imaginar o chapeuzinho branco e fazer todo mundo rir. rs

  8. eu ainda acho tudo muito divertido e interessante no meu “trabalho” deve ser por que só estou lá a umas três ou quatro semanas!

  9. Adorei a metáfora da padaria.
    Sim o chapeuzinho ficou hilário em vc na minha imaginação kkkk,logo depois me veio o lula molusco com o chapeuzinho dele… Mas ehem, isso n vem ao caso.

  10. ana tereza

    eu imaginei toca branca…e perdi toda a logica dali pra frente.

  11. TG

    eu imaginei uma versão de português sua, João. Com direito a bigode e sotaque d’além mar.

  12. Juninho

    A #76 acontece frequentemente aqui na Siemens…

  13. A #78 está listada como #79.
    Refaça por favor.

    att
    Fritz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s