Carta aberta ao cara que faz aula de jumping na academia onde eu malho

Prezado cara que faz aula de jumping na academia onde eu malho,

Eu sei que você não me conhece e que eu, tecnicamente falando, não conheço você, já que a primeira (e quem sabe talvez a última) vez que eu te vi na vida foi hoje cedo. Eu estava no segundo andar da academia, fazendo com grandes dificuldades as minhas séries de abdominais (180 deles, sem peso, enquanto a velhinha ao meu lado fazia 240, com pesinhos), quando, durante uma pausa para água, olhei para a sala de ginástica, onde várias senhoras faziam aula de jumping (ou step. ou yoga. ou aerobahia. ou aerojump. ou aerobahia. ou aeroyoga. ou yogabahia. ok, acho que você entendeu que pra mim é tudo igual) e lá estava você. Sim, você. O único e solitário homem perdido em uma nuvem de mulheres. Deslocado, porém altivo, perdido, mas ainda assim corajoso.

A primeira coisa em que pensei foi nisso, no quão fora do seu ambiente você estava e na coragem necessária para tal ato. Afinal, era um homem adentrando sozinho um território claramente feminino, disputando espaço em uma área perigosa e diferente, ultrapassando corajosamente limites e ignorando preconceitos, olhares enviesados e a cara de interrogração do professor. Um gesto de bravura, eu posso dizer. Afinal, você estava fugindo da dicotomia “garotos levantam peso/garotas fazem ginástica”, o que exigia ao mesmo tempo segurança, força de vontade e muita convicção pessoal.

E qual seria a sua motivação? Seria você um solitário Zé Mayer buscando nas aulas matinais da academia uma boa maneira de conhecer mulheres? Seria você um gay de meia-idade que realmente não via nenhum problema em estar ali no meio das mulheres, se sentindo uma delas? Seria você o marido carinhoso de uma mulher tímida e que não seria capaz de enfrentar o convívio com outras mulheres sem companhia conhecida? Seria você um homem interiorano, talvez machista, obrigado por um médico ou fisioterapeuta a fazer aulas de alongamento por questões de saúde? São muitas as possíveis e imagináveis respostas pra essa pergunta.

Seja como for, eu gostaria de, além do meu mais sincero respeito pela sua coragem  e obstinação, fazer um pequeno pedido: ainda que você esteja fazendo, junto com várias mulheres, uma aula de jumping (ou step. ou yoga. ou aerobahia. ou aerojump…você entendeu…), não acho que seja realmente necessário usar aquela calça de ginástica colada. Sério, não acho mesmo. É constrangedor pra todo mundo, cara. Pára com isso.

Cordialmente,

João Baldi Jr.

Anúncios

18 Comentários

Arquivado em Desocupações, Mundo (Su)Real, Sem Categoria

18 Respostas para “Carta aberta ao cara que faz aula de jumping na academia onde eu malho

  1. eu ja contei que fazia aula de ginastica localizada? acho que ja, eu conto pra todo mundo.
    numa aula predominantemente feminina, tambem tinham homens, quer dizer, senhores.
    achava bonitinho. eles la se esticando, levantando pesinhos, fazendo alongamento e exercicios que eu, no auge dos 25 anos, nao consigo fazer.
    e eles usavam calção de futebol.

  2. É cada coisa que a gente vê por aí… (Quer dizer, não “a gente”, porque eu não estava lá. “A gente”, neste caso, é “você”, mas acho que vc já tinha entendido….)

  3. Isso é fantástico. Só isso que tenho pra dizer.

  4. digo mais: isso é mirabolante.

  5. HAHAHAHA
    Sempre tem desses.

  6. Quando eu fazia spinning tinha um emo que ia de lápis no olho e ficava o tempo todo arrumando a franjinha dele. Eu tinha que fingir que era séria e tentar nem olhar mto pra ele. Senão dava uma vontade enorme de rir. Sério.

  7. Hahauhauhauahauha. Eu gosto quando você fala da academia!

  8. Será que ele é amigo do tio forte e saudável de uns posts pra trás?

  9. e você ainda diz usa seu tempo na academia malhando. hahahaha

  10. kkkkkkkkkkkkk, muito bom! Bom mesmo!!!

  11. seu post me fez lembrar que eu realmente preciso começar a fazer alguma atividade física.

    a primeira coisa que as pessoas ganham em um relacionamento são quilos extras.

  12. Juninho

    Será que o Tio forte e saudável que usa hoje essas roupas?

  13. Betania

    Você deveria escrever era uma homenagem à velinha que estava levantando peso (por que teóricamente “garotos levantam peso/garotas fazem ginástica”), ultrapassando as barreiras da terceira idade e ainda jogando lama em você…hehehe. Sinceramente???Concordo plenamente quando vc diz que aquela roupinha colada tipo flashdance num homem é muito constrangedora…Abraço!!!

  14. bia

    taí porque eu odeio academia. sem contar que tu não pode ir de camisetão e calça de moletom que te olham torto…

  15. Elisa

    HAHAUEHAUEHAUHEAUHEUAHEUAHEUAHEHAUEHUAHEUAHEUAHUEHAUEHUAHEUHAUEHUAHEUAHEUAHUEAHUEHAUEHUAHEUAHUEAHEUHAUEHAUEHUHEAUHEUHEUAE!!

    Era o Zeca Camargo!

    Sou só eu que me sinto muito incomodada pelas calças apertadas dele que deixam o saco espagado em completo destaque nas noites de domingo?

  16. Elisa

    Desculpa. Estraguei seu blog com a minha risada.

    Aliás. Desculpa nada. Culpa sua.

  17. Fabio

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk agora fico me imaginando quando eu faço minha aula de jump,que acho até muito puxada,o que ficam falando de mim kkkkkk faço jump,hidroginastica e musculação e não concordo que seja só pra mulheres ou gays ou pessoas da terceira idade,mas sim para aqueles que tem uma meta para atingir,faço a minha aula com shorts de ginastica normal kkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s