Top 5 – Pagodes significativamente canalhas*

Inimigos da HP** – Que situação: A dramática história de um cara que saiu pra noite pensando apenas em zoar e chegando na noitada descobriu que lá estavam não só a garota com quem ele estava ficando como o namorado dela. Indignado com essa falta de consideração e respeito da parte deles, ele sugere a ela que agrida e xingue o namorado, pra que eles possam passar a noite juntos. Sério, é basicamente isso, só que rimando. Coisa de tocar o coração mesmo.

Exaltasamba – Livre pra voar: Música que caminha no estreito limite entre a cafajestagem e o telefonema ameaçador no meio da madrugada (“quando eu te pegar você tá perdida/vai se arrepender de um dia/ter me tirado do meu lugar”), defende o direito natural do homem (ou apenas do vocalista Thiaguinho) de desenvolver o pega-pega freestyle com carinho mas sem compromisso, numa espécie de consignação emocional. Com essa canção o Exaltasamba sedimentou no pagode brasileiro as bases do movimento da canalhice consciente, versão malandrona e não monárquica do despostismo esclarecido, tão em voga na Europa do século XVIII.

Grupo Raça – Eu e ela: Primeira música do pagode noventista a abordar esse tema  polêmico e controverso que é o swing , narra a epopéia de um cara que saiu com um casal de amigos numa “linda noite bela” e notou que começou a rolar um clima com a representante feminina do outro casal (afinal, se fosse com o outro cara seria polêmica demais pra um pagode só). Como sempre, a desculpa usada para o ato canalha de tentar, numa noite em que você saiu com a sua namorada, praticar o desporto bretão com a garota da mesa ao lado é a de que é impossível conter o coração, a vida tem dessas coisas, o sentimento não pode parar e por aí vai, como se estar com fome justificasse morder o braço de alguém. Destaque também para o clipe amador altamente psicodélico que eu achei no Youtube (isso é alguém filmando a tela do Media Player, não é?)

Bokaloka – Duas paixões: Um dos baluartes do pagode canalha, calhorda e sem um pingo de ética, o grupo Bokaloka, que já havia brindado o mundo com o clássico “Apaixonado pela sua amiga”, sobre um cara que marca de sair com uma garota mas, ao descobrir que ela havia levado uma amiga, pede que ela chegue na amiga pra ele (“vou te mandar a real/estou apaixonado pela a sua amiga”), nos oferece essa bela história de um homem dividido entre a namorada e uma outra garota e que acaba optando pela bigamia como solução mais lógica. O grau impressionante de coerência da música é explicitado na frase “eu sempre digo que a amo meu bem/eu nunca digo isso pra ninguém/mas se estou com minha namorada/eu digo também”.

Rodriguinho (e Thiaguinho) – Palavras de amigo: Numa épica bad trip pagodística de lsd que envolve um mash up de 50 Cent, Zezé di Camargo e Bezerra da Silva, Rodriguinho e Thiaguinho se unem para trazer a nós a bela história de um amigo que tenta advertir o outro sobre certos hábitos pouco ortodoxos da namorada dele no campo da fidelidade mas acaba encontrando uma forte resistência, que é vencida com argumentos contundentes porém respeitosos do tipo “todo mundo já comeu a sua namorada, porra”. Destaque para esse que pra mim se tornou um referencial em termos de análise do grau de envolvimento de uma relação “mas eu já tô envolvido/ tenho até apelido/tô curtindo demais”. Porque afinal, se tem apelido é que a coisa é séria. (também é legal ressaltar que esse clipe é um trecho de um…como eu classifico…um longa-metragem musical de pagode do Rodriguinho. é o Thriller do pagode nacional, na falta de definição melhor)

*As músicas de Alexandre Pires e do Só Pra Contrariar não foram incluídas na análise porque são consideradas hors concours em termos de calhordice (“o que o corpo faz a alma perdoa”) e também porque gosto de pensar que Alexandre não é canalha. É apenas um homem com um coração grande demais.

**Essa música originalmente é do Bokaloka, mas como eu não teria coragem de fazer um “Top 5 – Pagodes mais signficativamente canalhas do Bokaloka”, acabei levando em conta a regravação do Inimigos da HP.

Anúncios

17 Comentários

Arquivado em Músicas e derivados

17 Respostas para “Top 5 – Pagodes significativamente canalhas*

  1. você é realmente um gênio das análises dos pagodes! um prodígio! meus parabéns!

    XD

  2. o que eu acho incrível é você conhecer todas essas músicas, João. sério. o/

    • Elisa

      Estava pensando nisso agora. Se você realmente conhece as músicas ou se vai no “letras.terra.com.br” e fica abrindo letras avulsas de pagode?

  3. Sara

    Eu vivo pensando nisso, as pessoas realmente dizem que essas músicas são “lindas”… Eu tenho gêmeos prematuros cada vez que ouço isso da boca das meninas!!

    Você esqueceu da “vou chegar pra ela e vou dizer, vá se fuder, to com outra, mais gostosa que você”!
    Essa também merecia estar na lista!

    Muito bom o post!

    • João Baldi Jr.

      [esse é o momento em que eu me assusto e também assusto as pessoas, mas vamos lá]

      Então, essa não é a letra oficial da música, vamos dizer assim. O verso correto, como gravado pelo Grupo Ginga Pura lá nos anos 90 era “vou ligar pra ela e vou dizer/amo você/volta logo/que eu não quero mais sofrer”. O que o Inimigos da HP fez foi basicamente alterar a letra da música adicionando um espírito de revanchismo que não existia na letra original.

      [final do momento em que me conhecimento sobre o assunto assusta a mim e aos meus semelhantes]

      • Caralho…. Você realmente sabe de pagode muito mais do que alguém que alega não gostar de pagode deveria… Fala a verdade: há um poster do Alexandre Pires na parede do seu quarto, né?

  4. Marília N.

    Eu espero de verdade que você considere um mestrado estudando o pagode mais a fundo. Você deve ser o sujeito que mais analisou o pagode brasileiro no ano de 2010. Talvez seja essa a hora de levar isso para o acadêmico e mostrar que há muito mais do se vê no pagode.

  5. “Ela, ela e o namorado dela/Eu e minha namorada”…

    Foi bater o olho no título do post que eu me lembrei desse versinho, um hit de meados dos anos 90. A música em que esse verso aparece está na lista?

  6. Flávia G.

    Muito bom o ranking… rs

    Não tinha concordado muito com “Palavras de Amigo”, pois comecei a ler já com a expectativa de encontrar os clássicos “Depois do Prazer”, “Mineirinho”(…) e essa música nem fez tanto sucesso! Mas não conhecia o clipe… obrigada por me apresentar a essa obra-prima pagodística, são atuações que tiraram meu fôlego na risada!

    Realmente desculpe, ainda sou mto juvenil na arte do pagode. Um dia chegarei no seu nível! Rs

  7. Fran

    aaaaaaah, João.
    muito triste você saber essas coisas. rs
    e sim, esse negocio de apelido é sério pra caramba.

  8. Tem uma do Belo que traz a seguinte frase: “Enxugo o meu suor no teu cabelo”

    É muito legal.

    abs

  9. Ju Seelinger

    Como vc não cita o maravilhoso pagode do Kiloucura?!? Clássico dos clássicos da canalhice!!!

    “Eu não devia estar aqui
    Meu casamento é amanhã
    E hoje vim me apaixonar
    Eu só queria festejar
    E vem você me possuir
    Me ensinar que o amor
    Não escolha a hora de chegar…”

    E essa tem direito até a coreografia… ;-)

    E o João, apesar nessa pinta de “nerd cult bacaninha”, é uma enciclopédia viva do pagode nacional.

  10. Vivian

    Bah!

    Eu, que gostava de pagode (e tu também, pelo jeito) rolei de rir com esse texto.
    Hoje em dia escuto mais rock e eletrônico. E as pessoas se assustam quando percebem que eu sei mais de pagode do que elas gostariam que eu soubesse. Mas e não é que acaba sendo divertido?

    E Alexandre Pires merecia um post exclusivo!

    Beijos, tu é demais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s