Manual de não redação #4: “Como não escrever sobre uma festa da Playboy”

Em primeiro lugar não contextualize. Explicar exatamente como você foi parar na festa, dando detalhes sobre como a namorada do seu amigo que trabalha na Abril conseguiu colocar você na lista serve apenas para tirar todo o glamour da coisa e acabar com qualquer possibilidade de que permaneça no ar a impressão de que você é o tipo de cara que é sempre chamado pra esses eventos por conta da sua influência pessoal, sua beleza arrebatadora, seu charme irresistível e sua carreira ascendente como escritor/blogueiro/homem sensual. Também não é de bom tom agradecer publicamente ao seu casal de amigos pelo convite e dizer que quando entrou com eles no salão você se sentiu como o pequeno Timmy Turner andando com seus padrinhos mágicos. Sério, não faça uma coisa dessas.

Em segundo lugar não se vanglorie. Nada é mais chato do que gente que se vangloria. Contar sobre como você passou a noite toda bebendo vodka e champanhe cercado por mulheres lindas não é o tipo de coisa que vai angariar simpatia, assim como ninguém vai gostar mais de você só porque você era mais vip do que metade das celebridades presentes, já que tinha acesso a área restrita da festa e eles não. Fora que você deveria até se sentir culpado por ser mais vip do que um dos ex-participantes do jogo dos pontinhos. Também saiba que ninguém tem interesse em saber se você conversou com o editor, se você bateu papo com a capa de um dos meses anteriores ou mesmo se chegaram a mencionar que uma das coelhinhas teria ficado vagamente interessada em você. Isso é coisa sua, então você não precisa contar pra ninguém.

Próximo item: não tenha uma postura wannabe e se tiver, não relate. Contar que você tirou foto com todo mundo, fez filminhos no celular ou que passou a noite inteira transmitindo os eventos em tempo real pros seus amigos que estavam em casa apenas deixa mais claro ainda que aquele não era o seu tipo de ambiente e você estava ali por um puro e claro acaso Momentos como a sua conversa com a Nana Gouvêia ou a ocasião em que você teria a oportunidade de tirar uma foto com a Cléo Pires, mas viu o Sérgio Mallandro e foi correndo na direção dele gritando “cara, sou seu fã pra caralho!”, apenas mostram que você não só ainda não está preparado para a high-society como possivelmente também não está preparado para sair da puberdade sem a presença de um responsável.

Outra questão óbvia é a de que você não deve mencionar as suas gafes ou qualquer feito que possa soar desabonador ou apenas queimar o seu filme. Omitir situações como o seu comentário sobre a Nana Gouvêia na frente da filha adolescente dela, o fato de que você perseguia as garçonetes que serviam comida, o seu terror em relação ao David Brazil ou mesmo a sua vontade de, bêbado, roubar uma das tartarugas que estavam dentro do laguinho é o mínimo que você pode fazer se quiser sair do evento com um ganho e não uma perda de reputação.

E claro, por último, nunca, mas nunca ilustre qualquer texto sobre o evento com uma foto sua e de um amigo junto a alguma celebridade menor, como uma apresentadora de programa em canal fechado, namorada de jogador de futebol ou ex-BBB. Sério, isso seria muito, mas muito errado. Não faça uma coisa dessas.

Anúncios

26 Comentários

Arquivado em crise de meia meia idade, Good News, Vida Pessoal, vida profissional

26 Respostas para “Manual de não redação #4: “Como não escrever sobre uma festa da Playboy”

  1. Ela namorava com um cara que tinha 3 mamilos e isso, em rede nacional. O que é ser fã do Mallandro e ilustrar texto com foto de ex-BBB perto disso? Nada, eu diria.

  2. Marília N.

    Porra, Sérgio Mallandro e Nana Gouvêa?! Aí sim! Uma história para contar para os seus netos cara.

  3. Pô, tudo bem que o Mallandro é ídolo eterno, mas, puxa vida, desprezar a Cléo Pires? Ainda mais que ela era a dona da festa…

    Duas curiosidades: o que você disse pra Nâna Gouvêa? Você viu a Larissa Riquelme por lá?

    • João Baldi Jr.

      Vimos ela sim, meu amigo tirou foto com ela e seu vestido “bora aí mostrar um mamilo”. Grande sucesso.

      Sobre Nanagouveiagate eu prefiro não me pronunciar e esperar que as notas do Ego falem por mim.

      • Ah, você não está achando que eu vou acessar site de celebridade pra descobrir o que você disse para a Nana Gouvêa? Eu até acessaria para ver as fotos da Cléo Pires, da Larissa Riquelme e outras menos votadas, mas tudo tem limite!

        Desembucha aí, vai… Agora que você é da High Society, comece a divulgar os podres dos ricos e famosos! (E roube o emprego do Nelson Rubens!)

  4. Elisa

    Eu também teria corrido atrás do Sérgio Mallandro.

  5. Sara

    De tudo isso que você relatou, o que eu mais faria era roubar a tartaruga e correr atrás do Serginho Malandro…não te julgarei!!

  6. Pq a distancia na foto? Existia uma campo eletromagnetico em volta da garota?
    To esperando sua aparição no EGO! A minha nem deu certo, vou ver se faço outro barraco no twitter com o cumpadxi.

  7. roubar uma tartaruga é uma coisa que eu, realmente, teria avaliado como ótima possibilidade. (hahaha. longe da moça… você estava com medo dela, João?)

  8. moniquemoro

    [Eu também teria corrido atrás do Sérgio Mallandro.]²

  9. Marina

    também não entendi pq vc ficou longe da garota kkkkkk… boas histórias pra contar, hein?!

  10. você ta com uma cara de conquistador barato.

  11. ana tereza otoni cardoso da silva

    porra joão!!! cleo pires e vc foi atras do sergio malandro?!!!!!

  12. Flávia G.

    Credo, que mulher bonita! Dá até tristeza!
    o.O

  13. Jonathan

    Poxa, eu tô com ressaca moral…fui a festa, e tive acesso a area vip, a droga do proseco me levou a loucura, segundo amigos eu chamei capas anteriores de vagabuda…..não sei se dou risada ou choro…a conciência de um bebum pesa !!!!

  14. Coelhos

    Maneira essa foto montagem! Achei que vc não ia aprender nada naquele curso de Photoshop!

  15. É. Mais uma noite daquelas que jamais serão esquecidas.

    Será que o Sérgio Mallandro pensou em roubar uma tartaruga também?

  16. Seus textos são incríveis. Muito incríveis. Parabéns!

  17. Andret

    Cara, você falou com a Nana Gouvêa!
    Realmente, você é meu ídolo!

  18. Andrey

    *Andrey (no comentário acima, não me pergunte o porquê do “T”, enfim)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s