Problemas práticos do romantismo teórico – XII

A nossa auto-imagem, ou seja, a forma como vemos a nós mesmos, é um dos aspectos mais complexos e fragmentados da nossa mente. Assim como uma espécie de Capitão Planeta (só que sem o garotinho segurando o macaco) ela é composta de vários fatores que vão desde o que nós somos até o que nós pensamos que somos passando pelo que nós pensamos que os outros pensam que nós somos, o que nós gostaríamos que os outros pensassem que nós somos, e mais inúmeros fatores e/ou outras frases que vão me confundir se eu tentar escrever. Ou seja, é o tipo do assunto complicado, esquisito e meio caótico que você tenta ao máximo fazer com que não venha à tona, mas que, como grande parte dos assuntos complicados, esquisitos e meio caóticos, acaba vindo à tona quando você gosta de alguém ou alguém gosta de você.

E isso por duas razões. A primeira é a de que nós sempre achamos que as outras pessoas têm sobre nós a mesma opinião que nós temos, ou que pelo menos vêem na gente as mesmas qualidades que nós vemos. Suponha que você, por exemplo, se ache moderadamente feio e significativamente irritante, mas tente compensar isso sendo relativamente engraçado e moderadamente inteligente, além de saber alguma coisa sobre filmes e seriados. Esse é, em síntese, o seu set básico de qualidades e defeitos, na sua visão. Então quando você está com uma garota que tem uma opinião um tanto quanto diferente da sua, você fica claramente confuso. Afinal, se ela fala que não vê graça no seu senso de humor e que não se interessa por seriados a sensação que fica é a de um imenso WTF em relação ao porque dela gostar de você. E quando ela diz que está contigo porque, sei lá, te acha bonito, tem uma queda por caras de óculos ou é vítima de uma praga judaica que faz com que ela goste de pessoas cujas iniciais são iguais as suas (o que for mais improvável), você vai simplesmente pensar que ela está de sacanagem e demorar bem mais tempo pra processar o fato de que talvez ela possa realmente se sentir daquele jeito (devem existir mesmo pragas judaicas, certo?).

Por outro lado nós também temos uma imensa dificuldade pra entender que as pessoas podem se ver de uma forma totalmente diferente de como são vistas por nós. Aquela garota que você acha fisicamente perfeita, linda, absurdamente atraente e que só poderia ser descrita com frases como “ela é a felicidade em forma humana, com seios” ou “eu gostaria de ter problemas de narcolepsia apenas pra acordar do lado dela mais vezes por dia” pode realmente se achar gorda, feia ou ter uma implicância com alguma parte do próprio corpo que você considera total e absolutamente irracional (“amor, eu estou vendo o raio-x pela sétima vez e continuo achando suas clavículas normais, me desculpa”), e isso não ser necessariamente charminho ou necessidade de auto-afirmação. E mesmo que você gaste horas dizendo o quanto ela é fascinante, interessante, divertida e é a coisa/pessoa que mais prendeu a sua atenção desde aquele encadernado do Starman ou do seu primeiro dia jogando “The force unleashed”, isso não vai impedir que ela ainda se ache em alguns momentos chata e desinteressante (ou que queira que você manifeste todo esse interesse exatamente durante o compacto dos gols da rodada)

Ou seja, um passo importante do processo de gostar de alguém é entender que essa pessoa vê os próprios defeitos e qualidades de uma forma totalmente única, sendo portanto o seu trabalho, gostando dela, lembrar que certos defeitos não são tão ruins quanto ela pensa, certas qualidades que ela talvez nem imagine estavam lá o tempo todo e que, ok, certas coisas que ela faz não são exatamente tão legais assim (“sabe aqueles seus passos de break dance, amor? então…”). E se deixar gostar possivelmente tem a ver com aceitar que nem sempre as pessoas gostam de nós pelas razões que nós gostaríamos ou esperaríamos, ou mesmo por qualquer razão que a gente seja capaz de compreender, considerar vagamente razoável ou entender de forma lógica. Porque as pragas judaicas estão aí pra isso, possivelmente.

Anúncios

14 Comentários

Arquivado em romantismo desperdiçado, Vida Pessoal

14 Respostas para “Problemas práticos do romantismo teórico – XII

  1. Annia

    Taí acho que a única coisa que dei sorte na vida. E que deu certo também.
    Achei um cara que baixou e assistiu comigo todos episódios da Liga da Justiça. Ri comigo das coisas idiotas que eu acho graça (ou ri de mim e disfarça bem).
    Ele não fica chateado quando eu “troquei” ele pelo Mass Effect (1 e 2) e quando ele não queria na verdade jogar Left 4 Dead mas jogou comigo pra me fazer feliz. Assim como eu peguei os Star Bits pra ele no Mario Galaxy 2.

    E ele me encorajou e disse que não era idiotice eu comprar uma certa peça de roupa por causa de um certo seriado (casaco marrom-Firefly). Também não tira muito sarro da minha cara quando dou uma topada com o dedinho no pé da cama e grito frak. Nem quando ligo pra ele no trabalho só pra avisar que é a Leet Hour.

    Notei agora que esses serão meus votos no dia do casamento. HEUIAhiuhaeiuhae

    Se isso não é amor eu não sei o que é.
    Se o maldito não fosse são paulino e arrumasse mais as tranqueiras seria o homem perfeito.
    Mas nãããão, eu tenho que achar migalhas de pão/chocolate/bolo/sorvete/refrigerente(?) e unhas na cama COM A BUNDA NO MEIO DA MERDA DA NOITE.
    E desembolsar 30 mangos porque a gente foi acampar na praia E ELE ESQUECEU DE TRAZER SUNGA.
    e quando a gente foi viajar e ele tirou uma grana pra levar e esqueceu em casa. Tivemos que procurar um lugar no caminho, quase nos atrasamos e perdemos o avião PRA QUANDO CHEGAR ELE NOTAR QUE NA VERDADE NÃO TINHA ESQUECIDO.

    Pensando bem, vou largar esse filho da puta.

  2. Adorei esse post… sempre sinto essa sensação de WTF, hauhauahua.

    (E Salsicha owna Fred)

  3. Voltando aos blogs…
    E tem sempre aqueles que acham bonito ser feio. (parafraseando Batoré)
    Putz, você entende mesmo dessas coisas.

  4. ah, eu acho mais complicado quando você não sabe bem o porquê de gostar da outra pessoa. isso me intriga bem mais. :O

  5. “Embora seja um grande país, o Casaquistão tem problemas econômicos, sociais e judeus”. (Borat)

  6. Pingback: Tweets that mention Problemas práticos do romantismo teórico – XII « Wrapped Up in Books -- Topsy.com

  7. Marina

    Não saber o porquê de você gostar de alguém é realmente bem mais complicado! Ainda mais quando se percebe todos os defeitos dessa pessoa (eu costumo perceber mais os defeitos dos outros que o meu =x )

    • João Baldi Jr.

      Eu fiquei pensando nisso que você e a Juliana disseram e…bem, não sei se é só a minha cabeça que funciona assim, mas quando eu gosto de uma garota eu sempre sou capaz de listar umas 623 razões pra que não só eu mas todos os caras da face da terra estejam se arrastando por ela. Acho que nunca me aconteceu de não entender porque eu gostava de alguém. Claro, já aconteceu de achar que era uma péssima idéia, mas eu tinha noção das razões que me faziam insistir na péssima idéia, daí eu sempre ficar mais confuso com as razões das outras pessoas do que com as minhas.

      True story.

      • Vivian

        Eu concordo. Sempre me são claras as razões para a pessoa em questão ser totalmente gostável, e eu, inevitavelmente, me sentirei atraída (assim como mais boa parte das mortais).
        O que a outra pessoa está vendo é realmente um mistério pra mim, não só pq o que penso a meu respeito difere totalmente do que os outros pensam, mas pq PQP, com certeza não me sinto atraída pela minha própria pessoa ¬¬

  8. E eu ainda achio que o maior problema é por passarmos 24hrs com nos mesmos. Dá tempo de pensar merda demais e chegar em conclusoes absurdas sobre nos mesmos.

  9. Anellise Duarte

    Quando você se percebe os defeitos da pessoa e não consegui ver suas qualidades.
    Pode esquecer vocês não naceram um pro outro.

    Eu sei que é dificil ouvir isso mas é a verdade..

    E quando a pessoa acha que é o maximo e na verdade ou melhor no ponto de vista de outras pessoa ela não é nada !!

    isso sim é dificil !!!

  10. Você manda bem mesmo. Devia conhecer Osho… :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s