Sobre Star Trek, Ellen Page e o seu tipo de garota

Como dá pra notar facilmente por aqui (e já foi mencionado em outros posts) eu não sou exatamente um poço de contundência, convicções e certezas. Claro, existem aquelas poucas diretrizes que me guiam no universo e me impedem de estar totalmente à deriva no caos da cultura ocidental moderna tal qual um barquinho de papel construído por uma criança sem coordenação motora, mas são poucas e não dariam uma página (nesse momento, por exemplo, eu só consigo pensar em heterossexualismo, futebol e que não gosto de uvas passas). E um desses tópicos sobre o qual eu tenho poucas certezas (e que acabou vindo à tona por causa das repetidas menções a meninas gordinhas e do post sobre ruivas) é o de qual seria exatamente o “meu tipo” de garota.

E sério cara, isso é nebuloso. Ainda que pra algumas pessoas existam critérios claros e objetivos como o cara que prefere loiras, a minha amiga que gosta de japoneses ou a colega de trabalho que disse que não namora ninguém com menos de 1,75 porque quer poder usar salto (o que pra mim é tão absurdo quanto eu dizer que não vou ficar com uma menina porque ela não combina com a minha camisa azul do quarteto fantástico), eu sinceramente nunca consegui precisar de forma tão clara assim o meu “tipo” de garota, em termos físicos. Primeiro porque ainda que eu tenha alguns conceitos mentais básicos (“Ellen Page, Ellen Page. Cééérebros!”) eu sou bastante flexível com isso. Depois porque vendo meu histórico pessoal não dá pra tirar nenhuma conclusão sólida quanto a esse tópico (na verdade até faz tudo soar mais shuffle ainda. além de fazer parecer que eu tenho tido bem mais sorte do que mereço). E terceiro porque eu acho que não dá pra separar as questões emocionais e de personalidade das questões físicas, ao menos se você quer algo mais do que uma noite de sexo depravado com chantilly e cerejas (não que eu vá dizer que alguém precisa de mais do que isso, claro).

E talvez seja um pouco daí que vem essa minha flexibilidade com as “especificações físicas” de uma garota: do meu nível de “exigência” em termos de personalidade. Pra que eu me envolva com uma garota existe, ainda que eu tente negar ou evitar, um imenso checklist de características que vão desde um senso de humor boboca (como eu poderia ficar com uma garota absolutamente séria, por exemplo?), até um certo nível de seriedade inerente (porque se eu ficasse com alguém tão bobo quanto eu seríamos os dois caçados por camponeses com tochas e ancinhos), um background cultural necessariamente próximo (não dá pra manter uma relação com alguém que não entende uma imitação do poderoso chefão) e outras coisas em comum. Sem falar de todas as coisas em que eu espero que a pessoa seja o oposto de mim, como a capacidade de interação com o mundo real (“joão, o homem-aranha não existe. sério, ele não existe mesmo. e agora para de chorar, as pessoas estão olhando”), um certo nível de sensibilidade em relação aos outros e um certo grau de animação e vontade de quebrar regras que possa se contrapor à minha mentalidade década de 50 e minha incapacidade de pisar na grama mesmo quando o guarda não está lá. E claro, existem 500 outros itens, que vão desde gostar de ver trailers no cinema até entender Star Trek, passando por não ser fonoaudióloga (ou estudante de fonoaudiologia) e não gostar de incenso.

Por isso que, talvez, quando eu acho uma garota que é exatamente assim (ou relativamente próxima disso) eu realmente fico em primeiro lugar surpreso que ela seja também atraente (lucky me, lucky me) e sinceramente, sendo ela atraente eu acho que seria no mínimo uma viagem (ou quiçá uma veadagem) da minha parte pensar que eu, não sei, prefiro loiras ou que tenho uma queda por garotas gordinhas/magrinhas/nem-gordinhas-nem-magrinhas. Não que seja uma questão de valorizar a beleza interior ou coisa do tipo (?!) e sim de tentar conciliar alguém que te atrai intelectualmente e fisicamente (se possível de forma selvagem e incontrolável e vamos agora pra dentro do provador dessa loja…grrrrrrrr). Mas acho que conforme a gente vai amadurecendo (não que eu esteja efetivamente fazendo isso, mas pode acontecer um dia) aprende que sim, é mais fácil conviver com olhos que não são da sua cor favorita do que com alguém que não entende o que você quer dizer quando pára na frente do elevador e diz “Scott, dois pra subir”.

Anúncios

29 Comentários

Arquivado em Mundo (Su)Real, Nerdices, Vida Pessoal

29 Respostas para “Sobre Star Trek, Ellen Page e o seu tipo de garota

  1. Ellen Page está para os garotos assim como Jonny Deep está para garotas. Encontrar seus equivalentes-versão-para-mortais é o idílio.

  2. Ah cara, se tem uma coisa que o casamento me ensinou é que você pode conviver com uma pessoa que tenha poucos pontos em comum com você, e gostar imensamente dessa pessoa. Mas cada caso é um caso.

    • João Baldi Jr.

      Thiago, eu acredito firmemente que é esse tipo de pensamento que separa você, um cara maduro, coerente, já casado e pai de família, de indivíduos como eu, que passaram metade da tarde de hoje fazendo piadas sobre a vida sexual de girafas necrófilas.

      Mas eu espero um dia chegar lá.

      • João Baldi Jr.

        Falo da maturidade. Não em chegar nas girafas necrófilas, por favor.

        • Esse texto (sei que pode parecer estranho) me emocionou um pouco. (se eu fosse homem, essa parte de heterexualismo não seria muito a minha cara acho rs)
          Eu achei muito bonito, sério.

          Sorte seu blog é pop e o que eu exatamente penso pode ser disseminado por aí, nem preciso escrever mais no meu haha

      • Eu posso estar casado e já ser pai de família. Mas, convenhamos, maduro e coerente? Será que você não está falando de outro Thiago? hehehe

        Ah, e Renata adorou a piada da lésbica necrófila! hehehe

  3. E bom, agora eu pareço uma maluca, porque eu tentei rir do seu comment e não funcionou e agora estou rindo assim, sem motivo direcionado que o valha.

    Enfim é isso, floodar comments de blog é meu passatempo favorito. :)

  4. Marina

    Confesso que sempre gostei dos caras que tivessem mais coisas em comuns comigo, do que os caras que são totalmente diferentes… Porque não da pra aguentar namorar um cara forrozeiro (coisa que não suporto), ou um cara que não goste de comer sushi (tá difícil), que não goste de ir pra estreia do Harry Potter comigo (de cosplay kkk) ou até mesmo pro show da Sandy(&jr) [embora eu goste de rock, eu gostava deles também, poxa!). Que goste de crianças, de ler, que assista seriados de madrugada comigo, que saiba cozinhar (tá, isso a gente não vai ter em comum, mas alguém do casal precisa saber, né?)

    [esse meu comentário tá parecendo mais um anúncio “em busca do par perfeito” ! Quem se interessar entra em contato com o João! kkkkkkkkkkkk ]

    • Marina

      Opa, eu quis dizer “cara que gosteee comer sushi..” kkkkkkk

      (João, desculpa colocar esse tipo de anúncio no seu blog, mas é que ele anda tãoi visitado que eu não podia perder a oportunidade de procurar meu par perfeito por aqui kkkkkkkkkk. Pra não dizerem que eu não procurei em todos os lugares! huahaua)

      [mais uma que comenta sobre o próprio comentário kkkkkk]

  5. “Ellen Page está para os garotos assim como Jonny Deep está para garotas.”

    substitua >>>> Joseph Gordon-Levitt

    • João Baldi Jr.

      E eu estou com medo de assistir Scott Pilgrim porque desconfio que Mary Elizabeth Winstead poderá roubar o posto de Ellen Page e depois disso eu precisaria de seis meses pra reorganizar meus pensamentos e me recuperar do baque.

  6. Marília N.

    Concordo totalmente.

  7. eu acho que dá, totalmente, pra separar as questões visuais das emocionais e de persornalidade. o fato é, meu amigo, que quando o coração resolve saltar, seu tipo de par ideal não influencia em mais nada.

    ah! e olha, João… essa dimensão do salto é totalmente válida.

  8. Pingback: Tweets that mention Sobre Star Trek, Ellen Page e o seu tipo de garota « Wrapped Up in Books -- Topsy.com

  9. I have no standarts. Mas realmente, esse negócio de menos que 1m75 conta MUITO.
    Oi. To ouvindo The Life Pursuit.

    • João Baldi Jr.

      Você fala essas coisas e deixa neuróticos milhões de caras que estão naquela faixa cinza entre 1,70 e 1,75 m (pode me incluir aí, por favor)

      • Tipo, eu tenho 1m58. Não tenho moral para descriminar ninguém com menos 1m75, só tentei me fazer de exigente. Mas como eu disse, I HAVE NO STANDARTS, João.
        Coloco salto e ainda fico mais baixa que o mundo inteiro.

        João, PdH e você: tudo a ver!

  10. Eu tenho uma sacada boa quando o assunto é esse.

    Sempre digo que meu tipo de mulher preferida são as vivas. E que nem é uma coisa que eu exigo assim, só prefiro.

    Mas falando sério, também ainda não me decidi nesse quesito. Cada caso é um caso mesmo.

  11. Ai, gente, que lindo. Achei que só eu me sentia assim – e ficava esperando as pessoas falarem “mas é que cê é feia, né, Marta, num dá pra exigir muito” e eu começar a me justificar e só fazerem elas terem mais certeza que essa minha raivinha de standarts é só porque não posso acompanhar. grrrrr.

    Acho que a única coisa física que é de se esperar é que as pessoas sejam boas de cama. E como já fui surpreendida (tanto pro bem quanto pro mau, hahahaha), tenho julgado cada vez menos.

    Por isso fico caçando pessoas na internet, por mais que meus amigos insistam que isso só vai continuar dando errado. Mas é o lugar onde é mais fácil filtrar as pessoas por interesses, certo?

  12. Dúvidas:

    1 – Arrumou alguma com este post? ;)

    2 – O Homem-Aranha não existe? Como assim?!!!!!!

  13. alice

    acredito que a gente sempre busque alguém compatível… pode parecer meio superficial, mas todos temos noção do nosso grau de beleza, riqueza e inteligência (simplificando a coisa toda nesses quesitos) e daí buscamos identidade com o objeto de desejo

    a questão da pobreza me afetaria se o cara n tivesse o mesmo background, sabe? ia ser dificil conviver com uma pessoa q fala errado, curte funk e n entende minhas piadinhas nerds
    e a gente tem q ter dinheiro pra poder passear, viajar, fazer as coisas juntos… então to dispensando gente q vive de bolsa familia
    se o cara for tipo rico milionario tb, né… magina ele indo passar férias em monte carlo e eu juntando uma grana pra ir a buzios?

    quanto à inteligência tb tem q ser de igual pra igual, o suficiente pra q haja comunicação… apesar da mamae dizer q eu sou um genio, tenho plena consciencia de q n é bem assim

    já quanto à feiúra… bom, eu não cresci ouvindo elogios e assobios, como amigas minhas realmente bonitas, mas não cheguei a ser perseguida por camponeses com ancinhos (oq me deixa num patamar entre a fiona princesa e a fiona ogra, pendendo mais para essa última, tirando a cor verde e as antenas)

    enfim, nos meus parâmetros altamente influenciados pela mídia, eu tenho uma concepção doq é belo, e sei q n é pro meu bico (n q esse seja meu critério de escolha, é só uma coisa chamada simancol… se um cara parecido com raoul bova me desse mole, eu ia olhar pra trás sem acreditar q era comigo)

    claro q se ele não fosse a minha metade da laranja, depois de realizar minhas fantasias eróticas (pq eu n sou de ferro), ia continuar minha busca… essa historia da wishlist (ou checklist, n sei) q vc falou

    se um dia eu der sorte de achar um cara q preencha tais quesitos (divertido, culto, atencioso, tolerante, mais ativo do que eu rs – bem parecido com o seu modelo de garota ideal, por sinal, tirando essa coisa geek), n vou me importar q ele n se encaixe no biotipo q eu admiro

    nesse caso, de exigência física eu só tenho: ser limpinho (um banho por dia, podendo pular alguns se estiver frio e n suar), ter todos os dentes direitinhos (pode até ser implantado, hein ahahah), nada de dsts e essas doenças contagiosas (mononuclueose, a doença da micareta ARGH), de preferência um cabelo gostoso de passar os dedos (negociável, pq já vi uns carecas raspados atraentes), e q seja mais alto (pq eu sou gorda e fica mais harmonioso)

    nem ligo se tiver dedos demais no pé (pode até n ter um pé, desde q faça as coisas normalmente ahahahahahahahah)

    se demonstrar q me curte, q me admira, me respeita, etc etc… to facinha

    é aquela coisa… a gente sempre acha o outro ao menos bonitinho (ou lindo! se for no começo), até o dia em que o amor acaba por causa dos defeitos (ou melhor, incompatibilidades) de personalidade… aí vc começa a reparar nos tiques, no nariz torto, nas canelas finas, e outras coisas mais q n te incomodavam

  14. adrtta

    hshusuhushushushushushushuhushusuhshsushuhs……..kao não piada nenhumas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s