Top 4 – Breves possibilidades de seqüela emocional moderada que só o Twitter oferece

O amor platônico via seleção de conteúdo: E tudo começou quando um amigo seu deu RT num link dela pra uma entrevista do Neil Gaiman, um clipe do Weezer, uma tira do Allan Sieber, algo assim. Você viu o perfil, achou interessante e começou a seguir. Com o tempo você foi descobrindo que ela era inteligente, divertida, tem os mesmos gostos que você, curte ilustrações de ursos panda, odeia ervilhas, é fã do Sérgio Mallandro, lê quadrinhos, tem uma opinião formada sobre o novo uniforme da Mulher-Maravilha, também gosta de Spaced e acha que os Monkees eram melhores que os Beatles. Ou seja, na sua cabeça ela é a mulher perfeita pra você se der pra ignorar o fato de que ela é casada, mora em outro estado e ignora a sua existência num âmbito mais geral.

O choque virtual x real da troca súbita de foto: Ela é divertida, engraçada, e se você pudesse iria passar o dia inteiro apenas repassando o conteúdo dela, porque a garota é realmente foda. Mas tudo que ela tem de interessante a foto dela tem de desfocada, mais ou menos como se o fotógrafo fosse o cinegrafista de um daqueles filmes iranianos que tentam ganhar o Oscar na base do “se não dá pra entender o que está na tela não dá pra falar que era ruim”. O que é ok, já que você não tem segundas intenções. Mas é claro que com o tempo você desenvolve segundas intenções e é só quando vocês já passaram do flerte para aquela coisa quase próxima de um “na minha casa ou na sua” que ela troca de foto e você nota que está assediando uma garota que é a cara do Stênio Garcia. Incluindo o bigode. Sim, era uma cilada, Bino.

A rejeição em 140 caracteres: Vocês seguiam um ao outro já há algum tempo e ela parecia muito interessante. RTs mútuos, às vezes alguns comentários entre tweets, e a cada troca de foto ela parecia, de alguma forma que você não compreendia exatamente mas desconfiava que podia ter alguma relação com manipulação de imagens, magia negra ou um problema do seu monitor, ser mais absurdamente linda. Até que um dia, num sábado à tarde, basicamente do nada, ela te manda uma DM falando sobre alguma coisa dissociada do papo de sempre, o clássico “puxando assunto”. Você, após 20 minutos de hesitação, responde. Mas depois disso ela não fala mais nada contigo e você começa a desconfiar que levou unfollow. Ou seja, você precisou de apenas 140 caracteres pra matar um interesse que você levou meses pra criar, sendo sumariamente rejeitado no processo. Boa, campeão.

A DM de bêbado, que também não tem dono: Como qualquer pessoa de bom senso sabe, um celular é uma das mais perigosas armas que você pode dar a um bêbado (ficando pra trás apenas das armas de verdade, como fuzis, arpões, espadas de samurai,etc) e o twitter consegue potencializar isso através do recurso da DM. Afinal, se antes um bêbado teoricamente precisaria do seu telefone para te mandar uma mensagem desconexa no meio da madrugada da qual ele se arrependeria durante meses à fio, agora ele precisa apenas que você o siga no twitter para poder tomar o mesmo tipo de atitude vergonhosa, com a praticidade de poder fazer isso direto do smartphone enquanto está na fila do bar ou indo ao banheiro. É o constrangimento na era da web 2.0. (Ah, e não adianta deletar na manhã seguinte porque a pessoa recebe uma cópia por email)

P.S: E a quem interessar possa, texto novo no PDH sobre Shyamalan, os Fugitivos e racebending.  E tudo bem se alguém não tiver entendido uns 66% dos tópicos abordados.

Anúncios

22 Comentários

Arquivado em Desocupações, Internet, Mundo (Su)Real

22 Respostas para “Top 4 – Breves possibilidades de seqüela emocional moderada que só o Twitter oferece

  1. Eu descobri esse blog com um twitter de uma pessoa randon que me segue por motivos especificos, se da pra entender. Enfim, e assim se estabeleceu meu amor platonico por você. Ops, essa ultima parte acho que deveria guardar pra mim. hahaha

  2. Pior que “DM de bêbado” é “depoimento de bêbado”; e com quase dez vezes mais caracteres a disposição… Experiência própria.

  3. Nathália

    O pior pra mim é quando alguém interessante começa a me seguir do nada. Eu fico tanto tempo tentando entender o porquê da pessoa estar me seguindo que, quando vou segui-la também, a pessoa da unfollow.
    É triste, viu.
    Ou então quando fico falando demais com a pessoa, perturbando , sabe? Hahahah

    Acho que vou sair do tuíter, rs

  4. Oi, vim aqui dizer que não te conheço, mas já quase te amo.

    Só não te amo mesmo porque foi meu namorado que me apresentou seu blog e, enfim, pega mal.

  5. Marília N.

    O bom das fotos desfocadas é que você ainda pode pagar de tipo misterioso. Ou simplesmente esconder a total aversão que as máquinas fotográficas tem de você.

  6. Annia

    Olha isso, João é praticamente uma puta platônica!

    Coisa pra contar pros netos, certeza.

    Já sobre a Dm de bêbado, me protejo tendo um celular da Idade da Pedra(?) de Silício. E mesmo assim não funciona 100%. Inclusive mandei uma pra você dizendo que estava votando pra você no blogbooks porque a minha vida podia ser patética mas eu ia contribuir pra sua não ser. Vergonha alheia né? Hehehe…

    Já a rejeição de 14o caracteres eu sou fera. Ou 140 palavras também. Coisa genial. Mas tudo bem, 90% das vezes os velhinhos no ônibus respondem e curtem a prosa.

    Em tempo: como alguém pode odiar ervilhas? É como alguém não ter um tubérculo favorito. Absurdo.

  7. TG

    Armas pra bêbado? Conheço um cara q não precisa de armas pra ser uma ameaça à segurança pública qd bebe. Aliás, vc tb conhece, moraram juntos em Viçosa.

  8. Mais uma vez você demonstra um conhecimento absurdo sobre relacionamentos que a maioria de nós só vê de longe e adquire de vez em quando. Fim da paráfrase. Tá, agora que eu não arranjo um twiter mesmo… (aliás, twiter é uma coisa que se “arranja”?)

    P.S.: não que alguém esteja contando pontos aqui, mas a baleinha de LEGO da imagem provavelmente colocará o Just Wrapped nos top links do meu blog, assim que eu achar o gadget responsável por toplinkar um site.

  9. eu já tuitei algo relacionado à isso. era mais ou menos algo do tipo: me apaixono facilmente por palavras bem escritas (acho que era isso). o/

  10. André

    Cara você escreve muito bem , acompanho seus textos a algum tempo e você tem uma criatividade impressionante . E essa semana , quando entrei no pdh vi um texto seu tbm , acredito que era o primeiro. Boa sorte E muito sucesso!

  11. É o preço da modernidade.

    E só tende a piorar. Aproveite o tempo em que nem todos os celulares acessam o Twitter. O futuro será desastroso.

  12. eu não sou grande fã do twitter mas o lance das DM`s de bêbado me soa ligeiramente familiar…

  13. Raul

    Conhecer e flertar virtualmente com alguém é algo que simplesmente não simpatizo. Não curto essas coisas, prefiro a moda antiga, theoldschoolway (nervosismo, tensão e emoção cara-a-cara, com todos os ingredientes que essa experiência nos proporciona). Agora ver twitter, orkut, messenger e cia ocupando um grande papel nos relacionamentos…ihh, isso não é legal, bicho. O futuro será desastroso [2].

    Seu blog é muito bom, parabéns pelo trabalho!

  14. DM é o novo testimonial NÃO ACEITA!!!, só que minimiza o constrangimento.
    Pensei que achar que Monkees era melhor que Beatles fosse apenas questão bom senso.

  15. QUESTÃO DE bom senso. Afasia sem vergonha.

  16. Recados de bêbado batem qualquer coisa, principalmente se for um recado pedindo msn de uma garota um ano mais nova que pensava que você é interessante.

    Experiencia própria.

  17. Belo post. Mas quanto ao futuro… Isso non ecziiiiste! :P

  18. Ézio

    Só espero que essa não seja a sua opção pessoal sobre o cinema iraniano! Você há de convir que Abbas Kiarostami é um grande mestre.

  19. Só pra constar: O futuro será desastroso [3]. Êta, geração cheia de esperança!

  20. ana tereza otoni cardoso da silva

    foi inevitavel nao rir na dm de bebado e me identificar como seu alvo favorito (ahhh meu bom partido rico!!!), mas ja te disse e repito eu adoro.
    e realmente chega por email, queria ver a sua cara qndo descobriu isso…ahahhahahahahaah

    vc ta escrevendo muito e muito bem! dificil acompanhar seu ritmo, fazer monografia e manter uma vida social!!! porra, joão!

  21. Flávia G.

    Credo.. sério que tudo isso acontece no tal do twitter?! Ainda não evolui tecnologicamente pra fase do twitter! Minha realidade inclui no máximo uma mensagenzinha de bêbado vez ou outra na madrugada! rs

  22. Pingback: Links de Sexta (17/9) | Vida Ordinária

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s