Top 5 – Férias 2010

Inglaterra – Primeira parada da viagem, a terra dos Beatles me ganhou de cara com sua culinária apurada (cerveja, cerveja, cerveja e alguma fritura pra não ficar tomando cerveja de estômago vazio), seu ambiente multicultural (todos os indianos me cumprimentavam e acho que vários deles me apoiariam numa briga) e sua língua que eu conseguia falar (ainda que eu me perdesse no sotaque). Apesar de algumas diferenças culturais profundas em relação ao Brasil (em Londres é habitual, por exemplo, que o cara gaste três vezes o tempo que a mulher gasta no processo de escolha de roupas, além de ser padrão o uso de calças jeans coladas, mesmo para gordinhos malandros), a passagem pela Inglaterra foi repleta de grandes momentos, como a visita a Wembley, ao Museu Britânico, ao Museu de Cera e ao University College Hospital, que não tinha nenhuma exposição legal, mas é muito útil quando você toma um tombo dentro de um pub e precisa tomar uns pontos na boca. True story.

Holanda – Um dos trechos mais agradáveis da viagem, a passagem pela Holanda (mais exatamente por Amsterdam), serviu para mostrar que uma cidade pode sim ser de dia simpática, romântica, agradável, cheia de arte e museus, mas ter uma noite louca, insana e alucinada, tudo isso sem deixar de estar totalmente apresentável no dia seguinte. Uma espécie de versão urbana da mulher perfeita (se Amsterdam fosse uma cidade seria uma nerd depravada ou algo parecido), A’dam (como a Jenny Tangerine me ensinou que chamam a cidade) morará sempre no meu coração por suas fábricas de cerveja, seus bares de gelo, seu distrito da luz vermelha e suas garotas estonteantes. E pelos museus, claro. Sim, os museus, como eu disse.

Alemanha – País sobre o qual eu tinha as menores expectativas, a Alemanha me surpreendeu de forma impressionantemente positiva com um povo caloroso, uma culinária interessante e uma coisa chamada Oktoberfest, que eu poderia descrever apenas como a maior e mais genial festa já criada pela raça humana sem incluir contato físico. Apesar da barreira da língua (as únicas palavras que eu sei em alemão são “danke” e “wunderbar”, o que quer dizer que mesmo se eu fosse assaltado ou apanhasse com uma barra de ferro eu iria responder com “obrigado!” e “maaaaraaaavilha, Alberto!”), posso dizer que aproveitei muito bem a minha passagem pela Alemanha, apesar da dificuldade pra aceitar que o metrô deles não tem catracas. Não estava preparado pra que confiassem tanto assim em mim, admito.

Áustria – Pátria famosa pelo [insira aqui alguma coisa que você souber sobre a Áustria já que eu não consegui lembrar de nada], a Áustria foi o quarto país da viagem, logo depois da Alemanha. Hospedado na simpática cidade de Innsbruck (palavra que numa tradução literal quer dizer “ponte do Rio Inn” e numa tradução livre quer dizer “meu deus, eu devia ter trazido meu notebook”), tive a oportunidade de ver pela primeira vez uma montanha nevada e posso dizer, entre emocionado e comovido: é bonito, mas é apenas água congelada. Não levem tão a sério assim. Ah, e nunca deixem que caia dentro da calça jeans, a sensação é muito desagradável.

França – Trecho mais romântico da viagem, a passagem pela França começou em Reims, na região de Champagne, onde conhecemos vinhedos e fábricas de champagne, seguiu para a EuroDisney, onde andei pela primeira (e última vez) em uma montanha russa (que na Rússia é chamada apenas de “montanha”), e terminou em Paris, onde conhecemos a Torre Eiffel, o Arco do Triunfo, e o Rio Sena, além de vários outros locais bonitinhos, fofos, emocionantes e cheios de balões em forma de coração voando pelo ar. Ou seja, se não foi o passeio dos sonhos (nada contra meu amigo Tarcísio, mas ele não é exatamente a pessoa que eu quero ter do meu lado enquanto alguém faz uma digressão sobre o Sena ser “o rio dos namorados”), ao menos serviu pela comida, pela bebida, pela cultura e pela certeza de que se eu não me joguei num rio nesse dia eu possivelmente não vou me jogar nunca.

Menção honrosa: Suíça – Graças a uma falha de planejamento e localização, nos hospedamos na periferia de Zurique (mais exatamente em Kloten) e, ao invés da Suíça asséptica, fria e turística que todos os visitantes conhecem, tivemos a chance de ver a Suíça garota, a Suíça moleque, a Suíça de pé descalços, a Suíça correria, a Suíça vidaloka, a Suíça que tá aí fazendo uns trampo de motoboy pra pagar as conta porque não ta fácil pra ninguém, truta. Madrugadas barulhentas, estações de metrô vomitadas, bêbados de rua, bares que servem as asas de frango mais apimentadas do mundo, entre outras coisas, me fizeram aprender que, mais do que um país onde tudo é caro e um imã de geladeira custa 30 reais, a Suíça é terra de gente como a gente, cheia de maloqueiros sofredores e desse bando de loucos, loucos por ti Basel (e o futebol suíço é bem merda também, desculpem)

Anúncios

26 Comentários

Arquivado em Desocupações, Vida Pessoal

26 Respostas para “Top 5 – Férias 2010

  1. Ah!! Europa !!
    Que Sonho !!

    E ai não rolou nenhum “romancezinho” em paris não ?!

  2. ana tereza

    foi um bom resumo…mas vc esqueceu os três ternos! hahahaha

  3. alice

    rs ainda não entendi se vc gostou ou não da frança por causa dessa parte de se jogar no rio

    austria é famosa por ser o berço de hitler e ainda ter partidos neonazistas <3 e por aquele doido que trancou e abusou da filha e das filhas-netas por anos e anos <3 (tem tb freud, q n soube explicar nada disso)

    mas de coisas boas tem a valsa vienense, a casa da noviça rebelde, gustav klimt, aplefstrudel (acho q é isso, o folhado de maçã)

    tem tb o arnold shwazneger (?), mas aí tem um lado bom (twins, true lies, um tira no jardim de infancia) e um ruim (todo o resto?)

  4. alice

    ps. adorava esse joguinho e sempre torcia pra carmen escapar (no desenho da globo)

  5. João Baldi Jr.

    Como bem ressaltou a Ana Tereza o mais perto de algum romance que eu cheguei foi quando um italiano me ofereceu 3 ternos pra dar uma volta no carro dele. Eu não aceitei. True story.

    E a França é legal, lindo país. Apenas não recomendo que você viaje sozinha ou com casais se sua estabilidade emocional e suas convicções pessoais forem fracas. Até George Clooney voltaria de lá querendo namorar, cara…

  6. PORRA AGORA EU QUERO VIAJAR!!!!!

  7. Ahhhh!!! Carmen San Diego! Carmen San Diego!!!! Eu amaaaaava esse jogo!!! Hoje em dia, com a internet, seria muuuito mais fácil passar pelas promoções… Na época eu ia correeeendo pra enciclopédia… haha, bons tempos…
    Anywyas, cool trip!!! Viajar é bom demais da conta!! E a ‘true story’ foi com você ou com seu amigo tarcísio?? hehe

  8. João Baldi Jr.

    Esclarecendo:

    a) Marília, segundo o italiano eram ternos Armani. Mas eu não vou confiar numa pessoa que tá tentando me convencer a fazer programa.

    b) Érica, foi comigo. agora tenho uma bela cicatriz embaixo do lábio inferior pra me lembrar que cervejas e salto ornamental não combinam.

    • érica l.

      Ah, que sofrimento!!! Mas pense pelo lado bom: pelo menos você é fino, agora tens uma cicatriz londrina, man!!! não é pra qualquer um!!!

  9. “Maaaaaaaravilha, Alberto!” (Bons tempos do RockGol).

    Caramba, você se esqueceu do Scharzza, o “Governator”? Para um cara com seu grau de conhecimento, é de se estranhar. Vc não ingeriu nada estranho na capital holandesa? hehe

    VAI, BASEL!

  10. Camila

    João,

    Sou a irmã da Kátia!!
    Uma vez disse para vc que gostava bastante do seu blog – e continuo gostando – e hoje resolvi deixar um comentário para dizer que a Áustria é a terra da Sissi, a imperatriz, quase uma lady Di do século XIX, casada com o imperador Francisco José I, do império austro-hungáro!!
    Sei pq já vi todos os filmes (tem uma trilogia!!) e meu avó é de lá(da parte que virou Itália depois da primeira guerra)!! ;-)
    Um beijão!

  11. Elisa

    Eu ia falar da Noviça Rebelde também, mas já falaram. Tem mais alguma coisa? O Francisco Ferdinando que morreu e causou a primeira guerra mundial era de lá não era?

    Bem… vamos comentar por partes:

    1) Inglaterra: precisamos de uma foto do seu lábio. Eu nunca tomei nenhum ponto. Até hoje não sei como tenho saído ilesa da minha vida. Nunca quebrei nada também.
    2) Holanda: o Bruno foi para a Holanda ano passado. Disse que a maconha de lá é muito mais potente e que você acha tudo de maconha para comprar.
    3) Alemanha: Fotos, por favor.
    3) Áustria: Você não fez um boneco de neve? E nem anjos na neve? E nem uma guerra de bola de neve? E nem apostou quem conseguia ficar mais tempo descalço na neve? Pffff…. Claro que você achou que era só água congelada. Nunca é! Água congelada é gelo. Vai fazer guerra de gelo e achar divertido.
    4) França: Adoro montanha russa. Quero muito ir à França algum dia. É por isso que jogo toda semana na megasena.
    5) Suiça… Nada a comentar.

    A propósito… FOTOS!!!!!!!!!!

  12. Essa viagem vale um filme. Ou pelo menos um especial de fim de ano.

    E é sério mesmo que existe essa Suíça???

  13. julianna

    Mto bom esse blog, rs. Me divirto muito lendo você.

  14. moniquemoro

    todos comentários legais (que eu podia fazer) já foram feitos.

    soooo…FOTOS!!

  15. acho que você conseguiu aprender mais sobre a áustria com os comentários nesse post, do que lá, viu. hahahaha.

    aaah, que sonho de viagem. [/momento fofura]. até. o/

  16. laura

    Poise…que maravilha!!! Sempre quis fazer uma viagem dessas estando muito bem acompan hada…deve ser por isso que até hoje não fiz!!!rss
    Ano que vem eu vou, além de experimentar coisas, que aqui não são permitidas, na Holanda, quero beijar muito por lá!!
    Nem um romancezinho deve ser balela sua…sempre tem algum. rsssss

  17. João! Voltaste!
    Suas férias soam inusitadamente divertidas. Principalmente a parte do chapéu estranho e do Oktoberfest, da cerveja+tombo à lá Ted Mosby, da Suiça mostrando as asinhas, e de você forjando atestado médico..
    Ah, é, estou comentando aqui por pura preguicite preconceituosa de ler seu post sobre o Molejo. ^^

  18. mesmo depois de tres dias sem dormir direito, de onibus em onibus, com pessoas falando servio, macedonio, acreditando que eu estava entendendo tudo, 4 fronteiras, alfandega, stresse do retorno a vida holandesa….eu venho aqui e yaaaay.

    obrigada por voltar (e obrigada pela citaçao tambem hehe)

    • João Baldi Jr.

      Ele era tudo que eu me lembrava quanto a Áustria (junto com o Schawarza), mas achei que dizer que fui até um país por causa de um halterofilista e eu líder nazista era meio esquisito. Não muito, só meio.

      (E agradeço a todos pela aula com o tema “Áustria – Mais do que um país, um estado de espírito”)

  19. HAHAHAHAHA… Amsterdam é uma mulher bonita então ?? hahaha
    a sua menção que mais me interessou foi sobre a França, vai ver que por ser mulher eu me interesse mesmo por coisas românticas… legal ver a visão de um homem sobre essas particularidades que fazem um país ser romântico ou não.. e mais legal ainda saber que vocês nem ligam pra elas, e sim pra culinária (bebida) que é própria do país.

  20. Jarbas

    E eu pensando se tratar de um post saudosista sobre Carmen San Diego.

    =[

    #failme

  21. João Pedro

    seus textos são geniais!!! parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s