A mais longa playlist de músicas tristes (ou relativamente tristes) do universo: itens #201, #202, #203, #204 e #205

#201 – Scouting for girls- I’m not over you: De todas as possíveis formas muito, mas muito ruins de ser chutado por alguém – que incluem desde términos na noite do natal, na sua casa, durante a ceia, enquanto você come rabanada, até términos via sms, passando por caminhões de som tocando Djavan na frente do seu trabalho e chegando ao conceito do chute literal como prova de que não, não rola mais, acabou – uma das piores é o não-término. Sim, aquele em que ela não liga, ela não avisa, não te leva pra um restaurante pra dizer que o problema é ela e não você, não diz que espera que vocês possam ser amigos, ela apenas vai embora e não dá notícia. Mais do que apenas terminar contigo, ela salta etapas e finge que nunca aconteceu nada entre vocês dois, te retirando da cronologia da vida dela mais ou menos como a Marvel fez com o Tony Stark adolescente e a DC fez com Beppo, o super-macaco e aquelas histórias esquisitas em que o Batman se vestia de rosa.

#202 – Pigeon Detectives – Nothing to do with you: Assim como era muito complicado, naquela versão infantil dos desenhos do Scooby Doo, explicar pro Freddy que nem todo crime era culpa do Ruivo Herring, é praticamente impossível explicar pra uma pessoa com quem você está terminando que o final de um relacionamento não é necessariamente culpa de ninguém. Não, não foi por causa dos seus pais, não foi por causa dos meus quadrinhos, não foi por causa da sua carreira, não foi por causa do meu problema de alergia a marmotas, apenas aconteceu, relacionamentos acabam e ninguém tem culpa nisso, vamos seguir em frente e…é, eu sei, nem vocês acreditaram em mim. É uma droga, como eu disse.

#203 – Ibold Train – A song about you: Quase sempre atribuída erroneamente ao Weezer, “A song about you” é uma das mais belas canções sobre como você pode conhecer uma garota e como ela pode te causar aqueles sorrisos bobos, aquelas declarações melosas, aquelas promessas adolescentes, aquelas decisões infantis, apenas para logo depois dormir com um dos seus melhores amigos. Sim, a música é sobre isso, quase literalmente.

#204 – Wilco – That’s not the issue: Existem situações e momentos na sua vida que são tão complexos e tão confusos que você simplesmente não consegue colocar em palavras, não consegue descrever, não consegue achar uma forma adequada de explicar, verbalizar, conceituar. Letras são vazias, imagens não explicam, sons não dizem nada e quando você está começando a se questionar sobre a complexidade da vida, a impossibilidade da comunicação integral e os filmes da Sofia Copolla, aparece o Jeff Tweedy e faz, na hora do café, uma música que diz tudo aquilo que você queria falar. Porque o Jeff Tweedy é foda, amigos.

#205 – Jeff Buckley – Hallelujah: Composição clássica de Leonard Cohen (o Sr. Spock do folk), regravada com brilhantismo ímpar pelo finado Jeff Buckley, é uma dessas músicas que possivelmente precisariam de um alvará para execução, dado seu nível de tristeza inerente e depressão explícita, capaz de fazer Darth Vader chorar debaixo do chuveiro, Stálin telefonar bêbado pra ex-namorada no meio da madrugada e Chuck Norris pedir um abraço no ponto de ônibus porque está carente. Se você consegue ouvir isso sem necessariamente se emocionar ou pensar em chorar ao menos duas vezes você pode tranquilamente comandar uma grande facção criminosa, trabalhar com extermínio de filhotes de panda ou aterrorizar os ursinhos carinhosos numa reprise do SBT.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em Músicas e derivados, Top

7 Respostas para “A mais longa playlist de músicas tristes (ou relativamente tristes) do universo: itens #201, #202, #203, #204 e #205

  1. O engraçado é que Hallelujah sempre me lembra os Seasons Finales de The O.C. E outra do Scouting for Girls que é foda é This Ain’t a love song.

  2. Com o perdão da redundância.. essa nothing to do with you é triste hein!
    Poo…Hallelujah me lembra Shrek… inevitável não pensar naquela carinha do gato de botas!

  3. o desafio pra você seria criar uma lista de músicas alegres, João. anote isso!

  4. Nathália

    AAAAAH
    ELE USOU UMA MÚSICA DO JEFF BUCKLEY!

    #descontrole

    AAAAAAAH

    tá… agora vou fingir que me controlei.

    (aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah)

    Agora, tirando a versão LINDA, TESUDA, BONITA E GOSTOSUDA do Jeff, cê já reparou como ficou bizarra a versão na cena “caliente” (not) de Watchmen? Argh.

  5. concordo com a Flávia G. … Hallelujah me lembra Shrek… inevitável não pensar naquela carinha do gato de botas!

  6. cara, onde encontro todos os itens dessa longa playlist?

  7. Lucas

    Sobre Jeff Buckley, Dream Brother fica umas 3 músicas depois no álbum e tem de bônus uma letra destruidoramente triste.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s