Top 3 – Grandes porteiros que trabalham no meu prédio

# O Zé é o porteiro do turno da manhã e sempre está lá quando eu saio de casa (se eu sair na parte da manhã, claro. se eu só sair de tarde ou de noite ele já vai ter ido embora, porque o contrato dele envolve ficar lá na parte da manhã, não ficar lá até eu sair do prédio, não sei se ficou claro). Quando eu e o Tarcísio (o cara que racha apartamento comigo) nos mudamos pra lá, notamos que ele era o mais grosseiro e menos prestativo dos porteiros. Eu dava bom dia e ele não respondia, eu perguntava alguma coisa e ele apenas rosnava, eu estava chegando e ele não segurava o elevador, coisas assim.

E a convivência foi dessa forma durante alguns meses, até uma manhã em que ele me viu descendo do elevador com uma garota. Assim que eu me despedi dela no portão ele virou pra mim e disse “ah, mas então você não é viado?”. Desde então ele passou a me cumprimentar, segurar o elevador pra mim, descer o meu lixo e me perguntar como anda o meu mengão.

Não quero ser precipitado, mas acho que o Zé pode ser meio homofóbico.

# O João é o porteiro do turno da tarde/noite e está sempre lá quando eu volto do trabalho (porque eu sempre volto do trabalho no final da tarde. por exemplo, se eu passar mal na hora do almoço e voltar pra casa eu não sei se vão telefonar chamando o João pra ele chegar mais cedo, mas espero que não, porque seria meio injusto com ele e eu me sentiria culpado) e sempre foi o mais tranqüilo. Mais novo do que eu, pelo sotaque eu acho que ele não é carioca, mas ele nunca me disse especificamente de qual estado ou cidade.

Com o tempo eu fui notando que as minhas conversas com o João tinham uma característica engraçada: elas consistiam nele repetindo tudo que eu falava. Por exemplo, eu chego e digo “e aí, joão?” e ele repete “e aí, joão?”. Aí eu falo “tudo na boa?” e ele diz “tudo na boa?”. Então eu comento que “tá quente pra caramba” e ele fala que “tá quente pra caramba”. Aí quase sempre eu noto que a conversa está ficando esquisita demais e apenas pego minha correspondência e subo pro apartamento.

Um dia ainda vou perguntar pro João qual o grau de sucesso que esse tipo de papo tem com as garotas.

# Também existe um terceiro porteiro, que fica no turno da madrugada. Eu realmente não sei o nome dele, porque sempre que eu chego em casa e ele está na portaria eu estou a)muito bêbado para manter um diálogo coerente ou b)com muito sono para manter um diálogo coerente, por isso eu passei a simplesmente chamá-lo de “Batman”. Ele é possivelmente o porteiro que conseguiu o melhor contrato de trabalho entre os 3, já que o João e o Zé estão sempre consertando algo ou limpando alguma coisa e ele pode apenas ficar lá dormindo. Um dia vou pedir o cartão do advogado dele.

Uma vez eu cheguei muito bêbado em casa, era num sábado e ao invés de entrar no elevador e ir pro meu apartamento eu fiquei sentado lá na entrada, conversando com ele. Não lembro ao certo, mas acho que fiquei cerca de 40 minutos encostado no banquinho do hall e falei pra ele sobre toda a minha vida pessoal, desde o meu primeiro beijo no colégio até ex-namoradas, também lançando um breve panorama da minha situação emocional na época e pedindo insights que ele pudesse oferecer sobre esse tipo de tópico.

Depois desse dia, sempre que eu passo pela portaria de madrugada não sei se ele está mesmo dormindo ou apenas fingindo.

Anúncios

10 Comentários

Arquivado em crise de meia meia idade, Top, Vida Pessoal

10 Respostas para “Top 3 – Grandes porteiros que trabalham no meu prédio

  1. Serei o primeiro a comentar? que honra!
    Aahah, ri demais!
    E, fazendo jus ao meu xará:
    ” opa, joão, então vc não é viado?”Certo.
    E aí joão, tá tudo bem?

    • joão baldi jr.

      cara, por aqui tudo bem e contigo? tempaço, hein?
      (e pô, é complicado de vez em quando. por conta desse hype gay um cara hetero não pode alugar um dvd de grease sem receber um olhar compreensivo do tipo “eu sei, eu sei”)

  2. hahaha. eu sempre associo os porteiros aos motoristas de ônibus. eles têm mais ou menos o mesmo perfil. e eu sempre tento ser educada pra não ser colocada pra fora [do prédio ou do ônibus].

  3. EU

    totalmente excelente

  4. “Um dia ainda vou perguntar pro João qual o grau de sucesso que esse tipo de papo tem com as garotas”.

    Já parou pra pensar que ele pode querer te perguntar a mesma coisa?

  5. Depois desse post me sinto sua BFF, assídua frequentadora da sua casa. Por favor, manda o abraço pro “seu Jão”.

  6. Vai ver o Zé te flagrou cantando Mamma Mia ou coisa do tipo.

  7. Pô, queria que meu prédio tivesse porteiros.

    Às vezes faz falta ter com quem conversar num fim de madrugada. Mesmo que a pessoa esteja dormindo.

    O problema seria se ele me achasse gay…

  8. Nathália

    Eu uso a tática do João com os porteiros daqui. Eles falam e eu repito.
    O que eu mais gosto nos porteiros do meu prédio são os nomes. Saca só: Anfilófilo, Virgílio, Rildo e Leví.
    Mas são todos muito legais ( tirando o Virgílio, pq não entendo nada do que ele fala).
    E aqui no prédio sou eu quem atura os porteiros bêbados. hauahuahuahua

  9. os meus porteiros também se dividem assim mas o da madrugada é bem melhor porque bebe alcool de mercado mesmo.
    ahhh e o da tarde/meio noite parece com o alexandre pires ate naquele olhar mineiro pro decote das meninas.
    e acho que eles tem um diario sobre a vida dos solteiros do predio! hahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s