Colegas que não ajudam o seu trabalho: #126, #127 e #128

angela-the-office-brown-sweater

O corretor de rascunhos: E então você chega pra ele e fala que terminou o projeto e quer que ele dê uma lida, mas ainda é só um rascunho, então não é pra se preocupar com formatação, pontuação, coisas assim. Aí ele diz que não gostou da fonte. Você explica que a fonte vocês mudam depois, mas queria que ele desse uma opinião geral, pra dizer se tá bacana. Ele fala então que o título está errado porque anteprojeto não tem hífen. Você promete que vai corrigir, mas é pra ele ler tudo antes, deixando esses detalhes de lado. Então ele comenta que você deveria usar asteriscos e não bolinhas.Você diz que ele pode ir marcando essas coisas na folha e depois você altera. Aí ele comenta que você devia destacar os subtítulos com itálico. Você ressalta que tá mesmo querendo só uma opinião ampla, não precisa ser tão específico. Então ele vai e fala que você não deveria ter imprimido na multifuncional do corredor, porque tá soltando tinta na mão. Aí então você manda ele tomar no meio do cu e pega seu papel de volta.

Na próxima reunião de equipe ele apresenta um ppt de 20 telas sobre falta de ambiência e problemas de comunicação na gerência.

O mestre do timing: Já deu duas da tarde e a reunião que começou às oito ainda não terminou. Seu chefe workaholic está cansado, a consultora que comanda o projeto reclama abertamente de privação sensorial, um dos seus colegas está tentando jogar angry birds com pedaços da mesa e “então…” tomou o lugar de “alinhamento” no ranking das palavras mais usadas no âmbito corporativo. Qualquer ímpeto para discutir os assuntos em pauta já foi digerido pelo excesso de suco gástrico na vida de cada um e todos parecem ter entrado num tácito acordo de que “sério, a gente não precisa disso, vamos almoçar” e apenas esperam o momento looney tunes em que o coordenador diz aquele “po-por hoje é só pe-pessoal” pra saírem da sala. Aí então, quando todo mundo está se levantando pra ir embora seu colega vira e solta um “rapidinho, só mais uma última coisa. eu tava analisando as premissas do trabalho e acho que abordamos isso pelo ângulo errado. olha só isso que eu fiz…”

No fundo da sala um gerente mais antigo explode o próprio copo de café com a mão e você ouve bebês chorando, mesmo não se lembrando de nenhuma criança na sala.

A vítima voluntária: E ela reclama o tempo todo que está sempre atulhada de trabalho. Ela reclama que passa 15 horas por dia na companhia. Ela reclama que está com a vida pessoal em frangalhos. Ela reclama que tudo é ela que faz. Ela reclama que se não fosse por ela a empresa ia parar. Ela reclama que todos são uns preguiçosos. Ela reclama que está servindo de escada pros outros. Ela reclama do seu apogeu (e todo céu vai desabar-a-a-ar. ah, desabou, me iludiu, é). Aí quando o chefe vai fazer a distribuição do trabalho pro próximo ano ela diz que não precisa de ajuda, te deixa no vácuo quando você se oferece pra colaborar em algum projeto e pega mais duas demandas do cara que acabou de ser demitido.

Então na próxima semana ela reclama que está sempre atulhada de trabalho. Ela reclama que passa 15 horas por dia na companhia. Ela reclama que está com a vida pessoal em frangalhos. E etc.

Anúncios

9 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, Desocupações, Gente bizarra, Mundo (Su)Real, situações limite, trabalho, vida profissional

9 Respostas para “Colegas que não ajudam o seu trabalho: #126, #127 e #128

  1. Nossa, pior que é assim, mesmo.

  2. ThiagoFC

    Reclamar do apogeu é uma puta falta de sacanagem!

  3. Rosana

    Na boa, se uma pessoa chega e manda eu corrigir algo que ainda não está corrigido – e eu expliquei essa parte antes- eu saio logo na segunda frase dita pelo tal indivíduo.

  4. Fernando

    Cara, vc é uma comédia…
    Isso é praticamente um episódio do “the office”! =D

  5. um dia em qualquer escritório. OU, um dia com a minha turma de faculdade. hahahaha.

  6. Gi

    hauhaua Morri na parte do apogeu! Did not see that coming.

    O corretor de rascunhos serve tb pra orientadores de monografias, teses em geral. Q nervoso q dá.

  7. Eu ia comentar o post todo, mas não pude deixar de notar que a fonte não tá bacana… brinks! Sempre que venho aqui tenho a sensação de ler um script daqueles seriados que te matam de rir.

  8. Mozart Maia

    Todo mundo lá na faculdade de jornalismo é um corretor de rascunhos… ¬¬

    Ótimo texto cara.

  9. HAHAHAHAHA, ainda rindo de todo esse papo com o cara do rascunho :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s