Uma conversa séria

Existem certas coisas que são prenúncio de problemas. Pragas de gafanhotos, nascimento de bezerros de duas cabeças, menu de seleção de cena daquele dvd de X-Men Origens: Wolverine, acordar de madrugada e topar com os quatro cavaleiros do apocalipse na sua sala, comendo sua pringles e apoiando lata de cerveja no seu xbox. E uma frase que com certeza é prenúncio de pouca diversão pela frente é “precisamos ter uma conversa séria”.

Tente pensar em quais foram os momentos e ocasiões em que você ouviu essa frase. Quando sua mãe te deixou viajar pra Cabo Frio na oitava série ela disse que precisava ter uma conversa séria contigo? Não. Quando seu chefe te promoveu a coordenador ele disse que precisava bater um papo grave com você? Nada disso. Quando sua namorada decidiu que iria sim topar se fantasiar de  Princesa Leia, mas nada de fotos, vocês tiveram uma conversa definitiva sobre o tema? Não, meu amigo, sem papo sério.

Mas e quando sua mãe veio te contar que você era adotado? Papo sério. Quando seu chefe te disse que você agora iria substituir o Maurinho da contabilidade, sim, aquele que trabalha numa gruta no subsolo contando quantas descargas são dadas diariamente para otimizar o aproveitamento de água? Uma conversa de homem pra homem. Quando sua noiva veio te contar que achava que estava grávida e não sabia exatamente de quem era o filho porque você teve aquela viagem longa nas férias e ela acabou pegando uma vaga como groupie do Jota Quest? “Essa não é mais uma carta de amor, são pensamentos soltos traduzidos em palavras…e precisamos ter uma conversa séria”. É exatamente assim que as coisas são.

“Sério” é basicamente um sinônimo de ruim nesses momentos e as pessoas realmente acham que as outras não notam que tem algo de errado acontecendo quando elas dizem que precisam ter um papo sério e em seguida avisam de forma misteriosa “e aqui estão as roupas que você tinha deixado na minha casa”, “mas é melhor você ir limpando sua mesa” ou “quer ligar pra sua mãe e pro seu advogado?”. Então, meus amigos, se o “papo sério” enquanto eufemismo para “vamos falar sobre algo de que você não vai gostar e que potencialmente vai te deixar bem chateadão” não faz mais sentido, por que não abandoná-lo de vez?

Sim, ao invés de chamar seu subalterno pra ter uma “conversa séria”, chegue na mesa dele e de peito aberto, sem rodeios, diga um sincero “negão, fudeu pra ti”. Sua mãe pediu pra conversar com seu pai sobre problemas em casa? Chama ele de lado com um claro e sucinto “vem cá, vacilão, vamos falar sobre a merda que você anda aprontando”. Quer encontrar aquela garota pra explicar que não dá mais, acabou? Abandone a frieza falsa de um “ei, vamos sair pra comer alguma coisa e ter um papo sério?” e opte pela assertividade direta porém respeitosa de um “preciso te levar num local público pra gente terminar sem o risco de que você me dê uma facada ou faça um escândalo”.

Vamos parar com essa coisa do papo sério, amigos. Vamos deixar de lado mais um eufemismo que nos distancia, nos engana, nos afasta da sinceridade natural do ser humano. É melhor pra mim, é melhor pra você, é melhor pra todos nós. Papo sério mesmo.

Anúncios

14 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, Crônicas, Gente bizarra, referências, situações limite

14 Respostas para “Uma conversa séria

  1. Nathália

    Ué, João… mas desde quando levar a futura ex pra terminar em local público evita escândalos? Pq olha… existem mulheres loucas e tal, rs.
    E o ‘papo sério’ só perde quando meu pai me chama pelo nome. Aí fudeu muito bonito.

  2. Papo sério com citação à Jota Quest deve ser tenso de verdade.

  3. naiara Costa

    Olha joao, a gente precisa ter um papo serio sobre vc ficar cantando essas musicas do jota quest. hahaha

  4. Priscila

    Imagino um super carioca dizendo “vem cá, vacilão, vamos falar sobre a merda que você anda aprontando” . hahaha.

  5. Excelente observação. Difícil acontecer um “Precisamos conversar sério, amor. Pensei bem e acho que rola um menage sim. Trouxe fotos de três amigas pra você escolher”.

  6. há mudanças nesse template. anyway, sei lá lembrei daquele hit do final dos anos 90 “papo de jacaré” que fez a trilha de tantos momentos na infância de boa parte de todos nós.

  7. félix

    acho que o problema na verdade é o sério. Desde quando um relacionamento sério, um emprego sério, um jantar sério com os amigos significa algo realmente bom naquele momento? Não é muito melhor a pegaçao, aquele freela/estágio só pra juntar dinheiro pra viagens e baladas ou um jantar no qual você diz que ‘fácil mesmo de furar é a sua mãe, aquela bexiga velha’ pro seu amigo.. O problema do sério é que ele é bom no futuro, mas agora ele é muito chato. A não ser que ele seja empregado na frase ‘vou xingar muito no twitter. Sério!’..

  8. “Precisamos conversar” é o necessário para minha mente imaginar as piores possibilidades da conversa… e piora ainda mais quando a pessoa completa a frase com “depois”. A espera é muito angustiante.

  9. caralho, sempre terminei com as minas em bocais publicos.

  10. Mariana

    Comentário nada a ver com o post. Já te conhecia do PdH, mas só quando recebi um texto daqui por email é que fiquei viciada, li vários posts de uma vez. Tô adorando sua escrita, moço!
    Obs: chorei de rir com o magic pagode! hahahaha

  11. Annia

    João, vc esqueceu o lado bom do papo sério…
    A possibilidade de usá-lo como ferramenta de trolling!!

    AHIeuHAe no mais. ótimo como sempre

    ps: devia estar estudando sobre os fenícios

  12. michael

    Ei João, excelente o texto, mas essa de fantasiar de Princesa Leia é coisa do Friends né ? hehe Parabéns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s