You could be our Yoko Ono

De todos os clichês e lugares-comuns sobre relacionamentos criados pela cultura ocidental, e que vão desde o “amigo apaixonado que não tem coragem de se declarar”, até o “amor de infância que só se concretiza décadas depois” passando pela “entregadora da amazon que anda de patins pelos seus sonhos por causa de portais no subespaço”, um dos conceitos mais clássicos e duradouros é o da “namorada-castradora”. Sim, a idéia de que, como vimos em filmes, séries, livros e especiais sobre os Beatles, mulheres são capazes de, assim que um homem se compromete com um relacionamento, tomar as rédeas de sua vida de forma tal que ele é levado a mudar atitudes e comportamentos, deixando de lado o ser-humano que outrora foi e começando a viver sob o jugo de sua atual parceira, que não apenas controla suas ações como também decide seu futuro, edita seu passado e define que campeonato brasileiro nunca mais, agora só maratona de Lipstick Jungle.

E uma espécie de “aceitação” desse conceito, o de que num relacionamento é freqüente que mulheres apenas tomem o controle de diversos aspectos da vida de um homem, gerou, principalmente nas gerações recentes, um fenômeno muito intrigante que é o da “namorada bode expiatório”, no qual caras passaram a usar sua parceira como escudo para explicar ausências, se defender de acusações ou apenas justificar o uso de desodorantes femininos, já que é complicado fazer seus broders entederem que um dove clássico, por exemplo, oferece a mesma proteção de um desodorante masculino mas agride muito menos a pele. Sério, agride menos mesmo.

Bem, mas por que isso acontece? Em primeiro lugar, porque é uma saída fácil. Se quando os caras te convidam pra tomar um chopp mas você está cansado, te chamam pra pelada mas você está com o pé machucado ou te convocam pra uma festa mas você precisa terminar um relatório de custos, você responde de forma sincera e racional, explicando os prós e os contras da sua decisão e mencionando que está fazendo isso baseado não apenas nas suas necessidades e na sua busca pessoal pela felicidade mas também pensando na preservação a longo prazo da integridade do grupo, a resposta claramente vai ser “ah, pelamordedeus, deixar de ser bicha, pega esse chuteira e vem logo”. Enquanto isso, se você solta um “ih, cara, então, namorada quer pegar um cinema” ou “pô, rapaz, briguei com a patroa, preciso ficar e fazer uma média”, a resposta quase sempre é um compreensivo e até meio compungido “é, cara, foda, sei como são essas coisas”, seguido no máximo de “mas cuidado com esse cabresto” ou “mas vê se aparece da próxima, hein?”.

E claro, ela também representa uma saída simples para os amigos. Afinal, uma coisa é acreditar que seu amigo, seu broder, seu colega de infância, decidiu, de livre e espontânea vontade e sem nenhum tipo de coação, abrir mão do futebol de quarta, desistir das maratonas de fifa no meio de semana, largar o torresmo e começar a fazer aula de pilates. Isso gera raiva, isso gera rancor, isso gera horas de piadas sobre como pilates não é coisa de homem, pelo amor de deus. E outra, totalmente diferente, é quando seu amigo justifica que o futebol bateu com as aulas de culinária em casal, a namorada pediu pra ele baixar as horas no vídeo-game e a ginástica é porque ela já disse mais de uma vez que você está ganhando peso. A zoação é a mesma? Claro. Mas os amigos ao menos tem a opção de acreditar que aquilo é passageiro, namoradas vêm e vão, é só uma fase. Basicamente eles podem acreditar que o amigo deles não mudou, ele foi mudado e, talvez, num futuro distante e com a tecnologia correta, ainda possa voltar a vida, ainda que por períodos curtos de tempo.

E o resultado final desse fenômeno é quase sempre uma certa “demonização” das namoradas. Afinal, quando o cara passa a responsabilizar a garota por toda e qualquer mudança no seu comportamento que o afaste de seus amigos, a tendência é que a opinião do grupo se vire contra ela, gerando toda a sorte de situações desagradáveis, momentos constrangedores e discussões do tipo “ou eu ou eles” que sempre terminam em dor, separação e gente tendo que procurar um novo lateral esquerdo pra pelada de segunda, coisa que todo mundo sabe que não é fácil.

Por isso a solução passa pela maturidade para assumir as próprias decisões. Não vai porque está com sono? Admita. Pulou fora porque quer dormir mais cedo? Diga abertamente. Vai refugar porque quer mesmo ir ao teatro? Compartilhe essa verdade. Desistiu porque quer ver Project Runway? Na boa, inventa uma história, amigo nenhum tá preparado pra isso. Mas nunca use sua namorada como escudo para as suas decisões e sempre se lembre que um amigo é alguém para quem você sempre pode dizer a verdade. Mas nesse lance do desodorante eu realmente só entrei porque usei uma vez o da minha namorada. Estou falando na boa mesmo.

Anúncios

16 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, crise de meia meia idade, Gente bizarra, situações limite, teorias

16 Respostas para “You could be our Yoko Ono

  1. Naiara Costa

    O final do texto foi um digno conselho do He-man.
    Ser bode expiatório é muito palha, mas eu admito que faço isso com o namorado tbm. Acho que de alguma forma faz parte do relacionamento. Quando vc começa a namorar, vc divide tudo, até mesmo a culpa nas desculpas esfarrapadas. Mas temos que estabelecer limites, ne. Yoko Ono é too much.

  2. Henrique

    Por “agride menos a pele” você quis dizer algo como “menor sensação de concretamento nas axilas”? Porque, meu amigo, o Rexona que eu uso é uma coisa séria.

    E eu nem fiz as contas de quantas vezes usei a namorada como desculpa no meu último namoro. Vou te falar que, lendo o seu texto, fiquei com a consciência até meio pesada, viu…

    • joão baldi jr.

      Você falou agora e eu lembrei do período em que eu testei Rexona e, sinceramente, achei que eu tinha comprado um daqueles sprays de neve falsa que vendem quando se aproxima o natal, sabe?

  3. Vc definitivamente está dentro da minha cabeça, ou está utilizando o capacete do professor Xavier.
    Estou EXATAMENTE neste estágio de amadurecer e bancar as atitudes. É mais difícil, mas é esse o caminho…
    Pelo menos sei q não estou sozinho…rs

  4. E agora pensando sobre isso percebi que já usei o namorado de bode expiatório vez ou outra.

  5. Fala a verdade: este post é patrocinado pelo pessoal da Dove, né?

    (Eu não ficaria surpreso, ou chocado, já que você já postou textos patrocinados no PdH)

    • joão baldi jr.

      Não, não, ainda não vendi textos aqui do blog não (basicamente por falta de propostas, que isso fique claro para qualquer patrocinador)

  6. vinicius

    ”Eu testei Rexona e, sinceramente, achei que eu tinha comprado um daqueles sprays de neve falsa que vendem quando se aproxima o natal”.
    Putz cara, essa é exatamente a sensacao que eu tenho quando uso o rexona. O problema é que eu sinto que os outros desodorantes nao seguram a onda, ta ligado?
    Alguem aí tem algum desodorante que agrida menos a pele e que funcione direitinho pra me indicar?

    • Loló

      dá uma testada no Nivea… tem uns masculinos, com cheiros muito bons, mais suaves e que seguram a onda sim. Rexona é muito ativo, muito pedreiro (sem ofensas).

      solidariedade é tudo.

      • Rainer

        E que fique bem claro que esse papo de desodorantes mais suaves e que não agridem a pele só ocorreu porque,sabe como é,eles ouviram das namoradas deles falando sobre isso,e só comentaram vagamente sobre isso.

    • Euconselho Axe, é masculino (para o caso de você não querer se explicar) e tem uma linha muito boa. Os meus irmãos usam e acho que é suave porque agora a minha irmã também compra para ela (e não se explica para ninguém..que injustiça!!!). Mas a linha Nivea também é mesmo boa.

  7. “Desistiu porque quer ver Project Runway? Na boa, inventa uma história, amigo nenhum tá preparado pra isso.”

    Adorei colocar o blog em dia nesse fds. You’re back, son! :)

  8. dove é tudo bom. experimenta a nova linha reconstrução completa… seu cabelo vai ficar super-macio, sério msm.

  9. Lorena Tavares

    Excelente texto, parabéns.

  10. Em qual rachadura temporal o blog caiu pra que o assunto dos posts se concentre, em sua maioria, na duvida sobre qual desodorante usar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s