3 grandes vitórias pessoais do ano de 2011

Ser pago pra escrever – Uma sensação que eu sempre imaginei que deve estar entre as melhores do mundo é a de ser pago pra fazer aquilo que você ama. Não aquilo que você suporta, não aquilo que você tolera, não aquilo que você faz pela grana, não aquilo que você acha que pode agüentar durante vários anos se beber bastante e for tentando se motivar com atividades paralelas e apostas pessoais como “vou levar pra reunião esse projeto visual que envolve gatos halterofilistas como imagem de fundo para os comunicados de reestruturação corporativa, só pra ver o que rola”. E depois de ter, durante esse ano, pego alguns frilas que me permitiram ser pago pra escrever em outros lugares basicamente o mesmo tipo de coisa que eu escrevo aqui, eu posso dizer sem medo que a sensação é ainda melhor do que eu esperava.  

Claro que eu ainda preciso me adaptar a esse conceito, tanto no sentido de variar mais meu estilo e conseguir seguir melhor orientações relacionadas a conteúdo e pautas quanto no de entender melhor a dinâmica da escrita paga – descobri que repetir demais a frase “eu gostei tanto que faria de graça” reduz meu poder de negociação, por exemplo – mas a experiência em si é possivelmente uma das coisas mais recompensadoras que eu já tive na vida, ainda mais depois da minha gerente ter vetado o comunicado com os gatos halterofilistas. Sério, vocês não tem idéia do quanto aquilo era genial.

Mudar pro apartamento novo – Mais do que qualquer outro, 2011 foi um ano de coisas adultas. Situações adultas, decisões adultas, eventos adultos, uso de termos adultos durante discussões adultas com outros adultos e provavelmente menos horas vendo filmes adultos, já que agora estou namorando e tal. E de todas as coisas incrivelmente adultas que eu fiz nesse ano tão adulto, a mais adulta de todas foi, sem dúvidas, a mudança pro apartamento novo. Não apenas porque foi um processo que resolvi todo sozinho – ainda que contando com a essencial coordenação não-presencial da namorada – como envolveu dezenas de microprocessos totalmente adultos como a busca imobiliária, a discussão com corretores, a assinatura de contratos, o pagamento de taxas, as filas de bancos e a religação do fornecimento de luz e gás com prestadores de serviços.

Porque a gente discute crise dos 25, lentidão no amadurecimento pessoal, ritos de iniciação e outros detalhes, mas é só quando você está sem camisa, de calça jeans, segurando uma trena e gritando com o seu porteiro que ele mentiu quanto a voltagem do apartamento que você nota que o sonho acabou, a infância ficou pra trás, o futuro é agora e vamos precisar de lâmpadas novas.

Namorar – Um comportamento clássico da vida adulta, ao menos no que tange ao aspecto pessoal, é o de ir se tornando mais cético a cada dia que passa. A gente duvida das pessoas, questiona os relacionamentos, coloca em xeque o paradigma amoroso e acha que, de uma certa forma, amadurecer é parar de acreditar em certas coisas. Até, é claro, a gente achar aquela pessoa que faz com que a gente acredite. Acredite em beijos, acredite em sessões de cinema, acredite em pés encostando em pés, em passeios de mãos dadas, em dia dos namorados, em horas no telefone, em excesso de mensagens por dia, em emails pra dizer que tá com saudade, em horas no shopping pra achar o presente certo, em ficar encostado no ombro, em noites dormindo abraçado mesmo que isso gere câimbras e depois você acorde com as pernas dormentes e quase caia da cama, mas tente não fazer barulho porque ela pode acordar.

Então acho que claramente se configura como um grande feito encontrar e conseguir ficar – por tempo indeterminado – com uma garota que te faz acreditar em tantas coisas que você seria capaz de comprar dela um carro usado. E sério, sem nem mesmo olhar a quilometragem. Se isso não é gostar eu não sei o que é.

Ps: e com este texto o just wrapped entra em hiato até o começo do próximo ano, quando retornará a programação normal. boas festas a todos, amigos. 

11 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, crise de meia meia idade, quadrinhos, Vida Pessoal, vida profissional

11 Respostas para “3 grandes vitórias pessoais do ano de 2011

  1. É isso aí, parabéns (apesar de eu, até agora, achar a vida adulta um grande saco)!

  2. Eu concordo com o Thiago, mas claro eu não tenho conhecimento de causa, já que ainda não entrei na vida adulta pra valer.
    Mas fala a verdade, não bate nenhuma saudadezinha do Tarcísio?

    • joão baldi jr.

      Olha, ainda estou aproveitando meus últimos dias no apê antigo e hoje acordei 07:20 mas só consegui entrar no banho 07:50 porque ele não saia do banheiro, então tenho plena convicção de que essa mudança é pra melhor, pra todos.

  3. Frank Martins

    Estava pensando isso agora a noite enquanto lavava as vasilhas do lanche de ontem e do café da manhã de hoje. Quando somos novos, ficamos sempre querendo ser mais velhos, para tomarmos as nossas decisões e ainda poder ter sempre um fardo de cerveja gelada na geladeira. O problema é que quando ficamos mais velhos, a idade nos acomoda, quase sempre tomamos as decisões erradas e ainda temos de trabalhar para manter os nossos vícios e desejos. Mas mesmo com todas essas coisas que podem parecer grandes obstáculos, tendo alguém especial ao seu lado, elas ficam mais fácies de serem encaradas.

  4. O_Pulga

    É, eu e Frank tomamos o quarto rumo de um adulto neste ano.
    Agora, em relação à parte de ser paga pra fazer o que eu gosto, esta parte ainda não chegou pra mim.
    Ainda não arrumei ninguém que me pague pra passar o dia todo jogando PES

  5. ana tereza

    Que ano legal João!
    Sabe que me enche de orgulho e felicidade mesmo ver como vc esta bem, mesmo longe do tarcisio! hahaha
    Sério, eu to feliz de saber que tudo tem sido bom pra vc nesse 2011! Espero que 2012 continue assim e evoluindo…vc merece ser pago para escrever!
    Boas Festas e comilanças!
    Bjão

  6. seu texto me lembrou aquela frase típica de vó, quando você faz alguma coisa adulta e ela vira e diz: “tá virando rapaz” (ou mocinha, no meu caso e demais mulheres, né). bem… boas festas pra você, tbm! o/

  7. Gosto muito da primeira porque como disse a Ana Tereza “você merece ser pago para escrever”!!
    Boas Festas…Natal do Bom e Ano Novo Maravilhoso.

  8. Se tem alguém que eu conheço que merece ser pago pra escrever, esse cara é você.

    E que venha cifras maiores em 2012.

  9. Seu texto me lembrou uma frase antiga que diz quem não gosta de pol

  10. Não sei se foi porque vi o documentário sobre meu querido e amado Tom Jobim ontem ou se estou nos meus dias de amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s