Mini-conto #15 – Diabolyn

wildfireEm minha defesa eu preciso dizer que fui pego de surpresa.

Era uma viagem de reconciliação, sabe? Eu tinha pisado na bola, ela tinha sido muito dura, passamos uns dias sem se falar. Eu telefonei primeiro, ela me ignorou, eu tive que telefonar de novo, mandei mensagens. Ela não queria me ver, eu tive que telefonar pra uma amiga, descobri que não era tão minha amiga. Tive que esperar na porta da casa dela, levei flores, estava chovendo, elas chegaram amassadas. Ela demorou pra voltar e eu peguei no sono na porta, só acordei com ela tentando entrar sem eu perceber.

Me convidei pra entrar e nós conversamos. Era um namoro longo, daqueles de colégio, e ela disse que não achava que eu soubesse o que eu queria, que eu não tinha planos pra gente. Eu disse que era verdade que eu não sabia o que eu queria, era verdade que eu não tinha planos, mas eu sabia que eu não queria ficar sem ela e todos os meus planos ainda não existentes contavam com ela pra acontecer. Discutimos um pouco. Ela chorou, eu chorei. Acho que tudo só deu certo porque ela tinha bebido.

No outro dia decidi faltar ao trabalho pra gente ter mais tempo junto, ela estava de férias. Falei sobre uma viagem de final de semana e ela topou. Disse que a cabana na fazenda do pai dela estava vazia, seria legal, um final de semana pra nós dois. Pedi uma hora pra passar em casa e preparar uma mochila, ela disse que ficava pronta em vinte minutos. Quando cheguei ela já me esperava no carro e foi bom ver aquela garota sorrindo pra mim de novo.

Chegamos lá e a sexta foi ótima. Era calmo, tranqüilo e ela parecia feliz. Dormíamos o dia todo, víamos bobagens na televisão velha da sala, levamos comida e ficamos cozinhando sanduíches e macarrão. Acordei sábado de manhã e ela me levou café na cama. Eu achei que tudo estava indo muito bem.

Sábado a tarde a gente fez uma caminhada e ela disse que queria ter um papo sério comigo. Eu estava contabilizando mentalmente qualquer vacilo que eu pudesse ter dado, qualquer besteira que eu pudesse ter dito, e ela percebeu. Me disse que não, que era algo sobre ela que eu precisava saber, se nós íamos mesmo ficar juntos, se ia mesmo ser sério, se ia ser diferente. Eu tive dificuldades pra imaginar alguma coisa sobre ela que eu não conhecesse depois de oito anos de namoro, mas ela falou que no dia seguinte eu iria saber. Voltamos pra cabana, ela dormiu logo, eu demorei pra pegar no sono.

Tive um pesadelo e acordei de madrugada. Aproveitei pra ir ao banheiro e notei que ela não estava na cama. Olhei na sala, também não. Ouvi um barulho vindo do lado de fora, tudo escuro. Lembrei que no armário da cozinha tinha uma pá, corri pra lá. Peguei e fui andando até a porta da frente, que estava aberta. E foi aí que aconteceu.

Como eu disse, eu fui pego de surpresa. Ouvi uma voz, vi minha namorada de relance, balancei a pá e antes que eu pudesse gritar “Sara!”  já tinha batido na cabeça do bicho, que caiu morto ali mesmo. Eu sei que parece meio brutal, mas não imagino ninguém que faria diferente se visse um cavalo falante chamando a sua namorada de “princesa”. Ela chorou, tirou a pá das minhas mãos, disse que eu era um monstro.

Na manhã seguinte ela foi embora. Agora não atende mais meus telefonemas e nem responde as minhas mensagens. Maldito cavalo.

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em contos, crise de meia meia idade, Ficção, Nerdices, séries canceladas, Vacilo

6 Respostas para “Mini-conto #15 – Diabolyn

  1. ThiagoFC

    “Aí sim, fomos surpreendidos novamente!”
    Se o conto não fosse bom (mas é!), as tags já fariam valer a pena.

  2. Acho que a reação foi adequada.

  3. Diabolyn! Há quanto tempo não via esse ser!

    Já vou direto nas tags! São demais!

    http://ocinematografo.blogspot.com.br/

  4. Mateus

    Reação normal. Aliás, o cavalo ainda era roxo com a crina vermelha, isso só pode ser a montaria do Satanás. (obs.: há pelo menos dez anos eu não via qualquer referência ao nome Diabolyn. Alguma chance de vermos por aqui um conto envolvendo o Glommer, futuramente?)

  5. Um dos meus grandes orgulhos é saber até hoje a música-tema do Cavalo de Fogo inteira.

  6. We need a lot more inhtsgis like this!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s