Não culpe a internet por não falar mais com a sua tia

betty-white-can-use-the-force

Depois de passarmos um bom tempo defendendo que a tecnologia iria resolver todos os nossos problemas – “viagens espaciais, vida eterna, queijo em spay!”- a tendência mais recente é falar que a informatização, os celulares e a internet são os grandes culpados por tudo. Nossos jovens são violentos por causa dos videogames, nossas famílias são distantes por causa dos celulares, nossos relacionamentos estão em frangalhos por conta dos computadores.

E de todas essas teorias vagamente apocalípticas, uma das que mais me intrigou sempre foi a ideia de que a evolução dos meios de comunicação e o desenvolvimento da internet estariam servindo para nos afastar das pessoas. Por causa do facebook não fazemos amizades, por causa do skype não saímos mais, por causa do twitter não conversamos de verdade, por causa do orkut gastamos nosso dinheiro com moedas para o jogo da fazendinha. E essa teoria sempre me fascinou porque, se você pensar bem, ela obviamente não passa de uma desculpa esfarrapada.

Afinal, toda essa tecnologia, todos os recursos que vão desde chamadas de vídeo até mensagens de texto e emails, assim como todas as outras formas de telecomunicações, não foram feitas para substituir a interação normal, mas sim para oferecer alternativas quando ela não fosse possível. Hangouts não foram feitos para substituir almoços de família, mas sim para permitir que você converse com os amigos no na Malásia, conversas no skype não foram feitas pra substituir jantares românticos, mas pra você matar a saudade da namorada que foi fazer trilha e você não quis seguir porque tem alergia a mosquito, SMS não foram criados pra substituir o boa noite da sua mãe, mesmo porque ela só escreve em caixa alta e quando você escreve “tah” ela liga pra perguntar se tá tudo bem porque você sempre foi ótimo em português.

As interações que a internet, o celular, o computador, estão nos fazendo deixar pra trás são, na maioria das vezes, aquelas das quais nós sempre quisemos nos livrar mas nunca tivemos um bom pretexto. As lojas online te permitem comprar roupas sem falar com vendedores, o facebook te permite desejar feliz aniversário pros seus primos chatos sem telefonar, o sms te permite dizer que não vai sair com aquele cara grudento sem precisar ouvir ele chorando do outro lado da linha. Sei que vivemos em tempos de buscar as raízes, voltar para as origens, mas qualquer pessoa precisa forçar muito a barra pra dizer que aquele “não, não, estou só olhando” é uma interação social da qual ela sente falta.

Então antes de culpar a tecnologia pela distância entre as pessoas, pela falta de comunicação entre os seres humanos e a solidão na cidade grande, tente medir o quanto de culpa a internet tem em você falar tão pouco com a tia Gilda, aquela que queria que você mudasse de religião e só sabe comentar sobre o reumatismo do tio Alfredo. Aposto que vai ser bem pouco.

(texto originalmente publicado na revista em minas)

Anúncios

1 comentário

Arquivado em é como as coisas são, Crônicas, revista em minas, teorias, Vacilo

Uma resposta para “Não culpe a internet por não falar mais com a sua tia

  1. “acredito que essa é uma das melhores imagens que o google já me ofereceu”. população; 2 membros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s