Tipos #12, #13, #14 e #15 de brigas de casal

paulofoul

#12 – O você tá levando isso muito a sério : Vocês se apaixonaram exatamente por causa das suas diferenças. O jeito sério dela complementa a sua fanfarronice, a sua paciência a ajuda a lidar com o próprio nervosismo, você gosta só de creme, ela adora chocolate e morango, ela precisa de dois travesseiros, você desde garoto dorme sem nada debaixo da cabeça. E isso seria lindo não fosse o fato de que você considera entrar no cinema depois que a sessão começa um sacrilégio, ela considera uma possibilidade, você considera uma toalha molhada debaixo da cama um descuido, ela considera um ato contra a pátria e a família, você considera brigar por causa disso bobagem, ela quer saber quem foi que você chamou de bobo, você diz que ela tá levando isso muito a sério, ela pergunta se então as coisas importantes pra ela são brincadeira pra você, a última coisa de que você se lembra antes de perder a consciência é de ver aquele joystick de xbox voando na sua direção.

#13 – O ciúme : Um dos tipos mais fascinantes de briga, a briga causada por ciúmes nasce da visão de um dos parceiros de que o outro estaria interessado em outra pessoa, fazendo com que ele decida, como maneira de garantir a proximidade que ele teme perder, hostilizar aquele parceiro. Ou seja, você acha que a sua namorada tá afim de outro cara, briga com ela, ela tava mesmo, ela decide ficar com o outro cara. Ou você acha que sua namorada tá afim de outro cara, briga com ela, ela não tava, ela fica profundamente chateada com a sua falta de confiança, começa a se interessar por outros caras. Ou seja, na briga por causa de ciúmes independente de quem vencer a tendência é que todos percam e os aliens e predadores dominem a terra e você se sinta inseguro diante da relação deles com a sua namorada.

#14 – A situação-limite : A típica briga que nasce de um contexto genérico de tensão que está acima do controle de qualquer um dos dois. A chave de casa quebrou na porta no final da noite, o GPS não quer funcionar no meio da estrada, nenhum táxi aparece depois da festa, Lord Voldemort está invadindo a escola no meio da madrugada e você acredita que um dos seus tios é um comensal da morte. Todos estão nervosos, todos estão ansiosos, existe uma hostilidade pairando no ar que poderia ser medida com um contador geiger se um contador geiger medisse hostilidade e apresentasse a medida “hostilidade pra caralho” e que precisa de apenas um comentário infeliz, uma observação inoportuna, uma piadinha meio deslocada, pra gerar uma guerra sangrenta que fará o conflito dos bálcãs parecer futebol de sabão e a segunda guerra virar o programa curtindo uma viagem. Nessa hora você, é claro, decide cantarolar a música tema do desenho animado Fly, que costumava ser exibido pelo canal SBT na década de 90.

#15 – A briga caótica : Nenhum de vocês sabe como começou. Se ela tinha tido um dia ruim, se você tomou um remédio que mexeu com seus hormônios, se ela já veio nervosa do escritório, se você chegou irritadinho do futebol. O que houve é que, assim como pessoas vítimas de uma abdução alienígena, você lembra de estar vivendo sua vida normalmente, ver um facho de luz e horas depois acordar no meio de uma discussão em que envolvia o estado da relação, o comportamento dos seus amigos, o planejamento das férias, as pessoas com quem você anda falando na internet, o lugar que você guarda seu notebook e num dado instante você jura que as palavras “crise na síria” também podem ter sido pronunciadas. Você ao invés de procurar a conciliação resolveu revidar e colocar na mesa as atitudes do pai dela, aquele amigo com quem ela fala demais, uma discussão sobre a conta conjunta. Após horas de uma discussão ferrenha, finalmente os ânimos se acalmam quando os dois percebem que não fazem mais a menor ideia de qual era a causa original da discussão. Vocês se beijam, se abraçam, as coisas começam a entrar nos eixos e você percebe que no meio da discussão trancou as chaves dentro do carro e faltam cinco minutos pra casamento da sua cunhada.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, romantismo desperdiçado, Sem Categoria, situações limite, teorias, Vacilo

7 Respostas para “Tipos #12, #13, #14 e #15 de brigas de casal

  1. “Você ao invés de procurar a conciliação resolveu revidar e colocar na mesa as atitudes do pai dela, aquele amigo com quem ela fala demais, uma discussão sobre a conta conjunta.”
    Always a bad move. Always.

    (Mais alguém aí tem aquela sensação de “Puta merda, eu não consigo ganhar uma discussão uma única vez sequer???”)

  2. Naiara Costa

    Você lembrou do Fly, cara.
    “Quer a paz que o inimigo destroe”
    vc zerou se blog hoje.

    • Naiara Costa

      seu*
      dislexia maldita :(

      • Thiago Soares

        Oi Nain, aqui é o Thiagão… Então, eu sei que sou chato, mas o correto é “destrói” e não “destroe”; agora que já fui meio pau-no-cu (e peço desculpas por isso), obrigado por me trazer a esse texto tão legal!

  3. Marília

    E se ele prefere jogar Fifa e eu Call of Duty no Xbox?? Acho que criaria uma outra categoria…

  4. aziull

    Quando vocês brigam por ele não gostar do seu “joguinho maldito de rpg”, outra nova categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s