Pequenas neuroses instáveis de relacionamentos de maior estabilidade

troy

o problema da divisão de problemas – e ela é a pessoa com quem você mais quer falar sobre toda e qualquer coisa, e isso inclui seus problemas. mas ao mesmo tempo, por ela ser a pessoa com quem você mais quer falar sobre toda e qualquer coisa, você sente um certo ímpeto de não gastar o tempo de vocês dois – que poderia ser gasto falando sobre toda e qualquer coisa – falando sobre os seus problemas. mas uma parte importante de ter alguém com quem você quer falar sobre toda e qualquer coisa é dividir os problemas, e se você não falar pra ela sobre esses problemas, se você omitir essa parte, ela deixa de ser a pessoa com quem você pode e quer falar sobre toda e qualquer coisa. e ela provavelmente vai ficar chateada contigo. e aí nessa divisão entre a vontade de falar com ela sobre as coisas que te matam de raiva mas não querer jogar em cima dela as coisas negativas da sua vida, você acaba criando frases como “hoje eu tive o dia mais merda de bosta que um maldito de um corno mal-pago pode ter naquela caralha daquela empresa de merda que só tem filho da puta…” e quando ouve o silêncio preocupado do outro lado da linha, complementando com “…mas de um jeito legal, sabe? tipo, não tão ruim e tal. e quando eu disse caralha eu queria dizer ambiente propenso ao crescimento, eu sempre me confundo com essas palavras”.

o terror da lembrança residual – e você quer gerar boas lembranças porque acha importante vocês terem bons momentos. e você quer gerar boas lembranças porque ela é especial pra você. e você quer gerar boas lembranças porque você nunca sabe quanto tempo vai ter com uma pessoa e é importante aproveitar cada segundo. e você quer gerar boas lembranças porque nada é mais lindo do que o sorriso dela quando está feliz. mas você também quer gerar boas lembranças porque gosta de acreditar que todos nós temos uma capacidade de memória que eventualmente vai atingir um máximo e se você conseguir encher a cabeça dela de coisas incomuns e eventos espetaculares pode não caber mais espaço nas lembranças para aquele dia em que vocês discutiram sobre o javier bardem ser bonito ou não e você disse a frase “você não pode me culpar por preferir homem que tem cara, de homem, ok?”. esse dia foi bem esquisito. esse dia não foi legal.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, cinema, Sem Categoria, situações limite, teorias, Vida Pessoal

5 Respostas para “Pequenas neuroses instáveis de relacionamentos de maior estabilidade

  1. Faltou a tag “g0y”, acho.

  2. anaspol

    Mudaram minha assinatura, agora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s