4 sinopses para filmes de ficção científica meio realistas

pet me i are cute

#um grupo de cientistas acredita ter descoberto sinais de vida em um planeta muito distante e inicia um processo de décadas para permitir que a humanidade alcance esse canto ainda inexplorado do espaço. são obtidos avanços científicos, são realizados testes em busca da tripulação perfeita, até que num dia de muito júbilo para a espécie humana, e com transmissão para todos os países da terra, a nave “perseus” é lançada em direção ao espaço em sua missão de dez anos para finalmente confirmar a existência de vida fora do sistema solar. durante essa missão alguns astronautas enlouquecem, outros morrem, alguns são vítimas de doenças desconhecidas, pois nunca os seres humanos haviam sido expostos durante tanto tempo ao ambiente espacial. chegando no planeta, batizado de “terra 2”, o único cientista sobrevivente descobre que é um alarme falso, vida não é bagunça, não vai sair aparecendo assim, não vamos encontrar logo de primeira, o que vocês tavam pensando. agora ele precisa voltar pra terra sozinho e a viagem parece que vai ser longa porque ele viu todos os dvds bons já na ida.

#um físico teórico alega ter descoberto uma maneira segura de viajar no tempo e, com a ajuda de um velho cientista, cujas teorias haviam sido desacreditadas pela academia e vivia agora relegado ao ostracismo, consegue construir uma máquina que ele acredita ser capaz de leva-lo de volta até o momento da morte de sua noiva, a única mulher que ele amou durante toda a sua vida. após anos de trabalho intenso em busca de soluções práticas para o deslocamento da matéria através da quarta dimensão e de uma fonte de energia capaz de permitir a realização do projeto, o físico e o velho cientista conseguem finalmente uma versão funcional da máquina que usam para realizar uma viagem até o ano de 1999. Infelizmente eles não levam em conta o deslocamento espacial do planeta e o cientista acaba se materializando no vácuo espacial, onde ele sufoca. seu último pensamento é “se nem a galera da bodytech acreditava nesse velho, por que caralhos eu fui acreditar??”.

#planeta terra. futuro não muito distante. a sociedade conseguiu num período de tempo muito curto uma evolução tecnológica muito grande e vive numa espécie de utopia automatizada onde quase todos os serviços braçais são realizados por máquinas, deixando na mão dos seres humanos apenas tarefas artísticas, esportivas, gerenciais. um crime ocorre na casa do presidente do maior conglomerado tecnológico do mundo, chocando a sociedade. encontrados na sala apenas o cadáver de uma das maiores celebridades globais e um robô. muitos especulam se o robô teria cometido o crime e esse seria o primeiro registro histórico de violência deliberada de máquinas contra o homem. essas pessoas estão viajando pois a máquina é uma roomba com bluetooth e viva voz e quem matou o homem foi um cara mesmo. baita vacilão esse cara, por sinal.

#velho cientista perde seus filhos em um acidente trágico e investe anos de sua vida pesquisando técnicas de clonagem para que seja capaz de reproduzir em laboratório seus entes queridos, sempre sofrendo a oposição de sua esposa, que acredita que ele está brincando de deus e esse tipo de ousadia gerará consequências funestas, já que os clones serão apenas cascas vazias, sem alma. após diversas tentativas o cientista, numa fria noite de lua cheia, consegue finalmente criar clones perfeitos, idênticos aos seus filhos, que crescem saudáveis e normais, iguaizinhos as crianças que morreram. a esposa do cientista pede desculpas, diz que esse lance de alma e brincar de deus era bem doideira dela mesmo, as crianças tão bacanas, obrigado.

4 Comentários

Arquivado em cinema, Desocupações, Ficção, Nerdices, referências

4 Respostas para “4 sinopses para filmes de ficção científica meio realistas

  1. Gustavo

    Qual é o segundo filme?

  2. Diogo

    Os filmes bons podem ter acabado mas se fosse eu ia levar toda a coleção da segunda divisão do paulista só pra garantir.

    • SolCannibal

      Fala sério, é claro que os projetistas iam planejar uma biblioteca de DVDs para até mais tempo que o de ida e volta da viagem. Memória é o que tomaria menos espaço nessa nave – bons e ruins iam sobrar filmes e séries de TV. Sem falar que com mais de 10 anos sozinho até os pornôs ruins tariam valendo ouro! XD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s