Mais dois intensos adendos ao intenso catálogo pessoal de momentos de frustração intensa

bruce

# na linha das grandes palavras de consolo que não servem exatamente pra te consolar, junto com “gosto de você, mas como amigo” e “poderia ter sido nos dois braços, né?”, o famoso “o senhor tem razão mas não podemos fazer nada” tem a intenção de atenuar uma verdade profundamente negativa – não poderem fazer nada – com uma informação que em tese deveria ser positiva – você ter razão. o problema principal com essa lógica, a de que você se sentiria menos chateado de ter ido ao banco pra nada/pago em dia e ainda assim cobrarem juros/ter ficado uma hora no telefone pra não resolver seu problema, é que nesse tipo de situação ter razão não é um atenuante mas sim um agravante para o quão louco das calças você vai ficar com essa palhaçada. 

isso porque, se não ter o seu problema resolvido já é uma fonte significativa de frustração, seja ele um canal da net que sumiu, uma fatura que veio errada ou um prato que veio trocado no restaurante, saber que a culpa não é sua, ou seja, que você fez tudo adequamente e que não tem nada mais que poderia ser feito da sua parte, apenas ressalta o quão pouco controle você tem sobre a sua vida. você pode pagar todas as contas em dia e ainda assim te cobrarem multa, você pode entrar no ônibus certo e ainda assim ir parar no lugar errado, você pode cumprir todas as suas obrigações e responsabilidades como cidadão e ainda assim ser preso.

ou seja, o “o senhor tem razão mas não podemos fazer nada”, é muito menos um consolo e sim um constante lembrete de nossa impotência diante de um mundo cujas regras pensamos entender mas cujos mecanismos de maneira alguma controlamos, lembrando sempre que estamos presos num universo que não criamos, a mercê de forças que nem chegamos perto de compreender. ou isso ou eu ainda estou realmente muito irritado com o pessoal da net. pode ser isso também.

# é uma coisa meio filme do m night shyamalan, certo? porque começa com um mistério. primeiro pequenas sabotagens. alguém esvaziou a garrafa de água e deixou dentro da geladeira. uma pessoa comeu todo o presunto e deixou apenas uma fatia, o que é ainda mais ofensivo do que comer todo o presunto, só falta desenhar um z de zorro no presunto. depois o escopo das coisas vai lentamente crescendo. alguém deixou todo o seu trabalho acumular pro último dia, aquele que você ia precisar sair mais cedo pra pegar um avião. sua namorada vem se esforçando muito mas algum fator externo insiste em complicar seu relacionamento e você não sabe dizer exatamente o que. após 3 tentativas você não conseguiu tirar a carteira de motorista e isso claramente não é normal, já que o avô idoso e clinicamente cego do seu amigo passou de primeira e ainda desenhou o nome na pista fazendo um drift ao som da canção tema do filme velozes e furiosos 3 com aquele coralzinho japonês (“fasta and fulioooous, dlift, dlift”). alguém está conspirando contra você na sua casa, alguém está atrapalhando seus relacionamentos, alguém está dificultando sua vida profissional, alguém esqueceu de tirar o lixo antes da viagem do fim de semana e agora tem esse cheiro estranhaço na cozinha.

até que finalmente a ficha cai. você mora sozinho. você que gastou 2 horas vendo o scout dos jogos da ponte preta pra escalar o cartola ao invés de trabalhar, você que anda sendo complicado, você que durante a prova prática se assustou com um caminhão e soltou as duas mãos e os dois pés do carro, numa pose que antes só havia sido vista em desenhos do scooby-doo. sim, a culpa de todos os seus problemas, o tempo todo, era basicamente sua. e agora aquele lixo da cozinha tá cheirando demais, você tá usando luvas feitas de saco plástico pra pegar o outro saco plástico, você tá com um pregador no nariz, tá na cara que isso não vai dar certo. ou isso ou eu estou realmente tendo uma semana bem ruim, o clima não tá bacana aqui. ainda tô com uma certa raiva da galera da net.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Crônicas, crise de meia meia idade, Sem Categoria

3 Respostas para “Mais dois intensos adendos ao intenso catálogo pessoal de momentos de frustração intensa

  1. Marcos Paulo

    Não estou surpreso ao ler que você usou 2h do teu tempo vendo scouts dos jogos da Ponte Preta. Espero que tudo fique bem por aí. Gosto de ti. Ficaria triste caso algo acontecesse contigo e você sumisse das redes sociais. Abraços e se cuida.

    Ps: qual o teu perfil no spotify?

  2. Cara, eu me identifico tanto com o segundo item da lista…
    E, vendo a última tag, vou deixar aqui um comentário de solidariedade: “JOÃO, GUERREIRO, DO POVO BRASILEIRO!”
    Era isso. Abraço!

  3. ana carolina

    só posso dizer quem nunca.. a não ser no caso da pose que só havia sido vista em desenhos do scooby-doo..kkk .ótimo texto!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s