Arquivo da tag: ciúmes

Dos problemas do raciocínio lógico para o aconselhamento emocional

it-crowd-tshits-s4e4t4a

“…e é por isso que eu acho que ela tá saindo com outro cara…”

“Ah, Marquinhos, isso é viagem sua, sério”

“Pô, só é. Viagem mesmo, Luana nunca ia fazer isso contigo, que isso”

“Com certeza, garota muito tranqüila, vocês tão juntos há meses, nem tem nada a ver”

“É, quê isso, de boa mesmo, nada a ver…ainda que…”

“Ainda que o que?” Continuar lendo

25 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, teorias, Vacilo

3 tópicos básicos da problemática de ter uma “amiga mulher”

A pressão da sociedade: Uma teoria defendida por muitos e que aquelas últimas temporadas de Arquivo X não fizeram nada para desacreditar é a de que uma amizade sincera, desinteressada e sem tensão sexual entre homem e mulher é não apenas algo incomum como também improvável, além de teoricamente impossível e de só servir é como um álibi pra alguma safadeza sórdida num motelzinho do centro do Rio. Quando você diz que tem uma amiga, na boa, sem segundas intenções, sério mesmo, seus amigos não acreditam, seus colegas de trabalho fazem brincadeirinhas, o pessoal da pelada te chama de veado e até sua mãe pisca pra você com aquela cara de “ok, junior, arrã” que ela fazia quando você dizia que ia dormir tarde pra estudar matemática mas na verdade ia assistir “Presença de Anita”.

Continuar lendo

22 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, teorias

Hábitos humanos que você não conseguiria explicar para um alienígena #45, #46 e #47

#45 – Fazer ciúmes: Você gosta de uma pessoa e supõe que ela gosta de você, mas acha que por alguma razão ela não está lhe valorizando da forma correta. Então você começa a se insinuar para uma terceira pessoa ou gerar uma situação que poderia dar a entender que existe um envolvimento entre você e essa terceira pessoa, com o intuito de que aquela primeira pessoa, a que não está lhe valorizando corretamente, pense que corre o risco de perder o seu afeto. Ou seja, você reage a uma possível falta de atenção da parte dela gerando na pessoa de quem você gosta não apenas a angústia da perda como simulando uma situação em que a confiança dela é teoricamente traída.

Continuar lendo

16 Comentários

Arquivado em Mundo (Su)Real

Pequeno diálogo de extrema maturidade #46

“E como eu estava te falando, eu não acredito em ciúmes…”

“Como assim não acredita em ciúmes, cara? Todo mundo sente ciúme…”

“Cara, eu não sinto…é só questão de racionalizar…primeiro que ciúme nasce do sentimento de posse, entende? E como sentir posse de alguém, certo? As pessoas vem e vão, e tem suas razões pra isso…

“Humm…”

“Se ela está comigo é porque ela quer…então eu não tenho que me sentir inseguro, porque ela escolheu estar comigo. E eu não tenho medo de traição ou de perda porque, se ela me trair, é porque ela não era boa o bastante pra ficar comigo, saca? Se ela gosta de mim ela vai ficar comigo e vai ser responsável. E eu tenho que saber confiar…não existe relação sem confiança, entende?”

Continuar lendo

18 Comentários

Arquivado em Mundo (Su)Real, romantismo desperdiçado