Arquivo da tag: desculpas

Mais itens do dicionário pessoal de frustrações na interação social e emocional

bojack

# você não queria ir, mas também não queria dizer que não queria ir. você é um pouco inseguro demais, você tem dificuldade pra falar não, você não gosta de ser assertivo, você ficou ali naquela situação chata, você decidiu inventar uma desculpa. “rapaz, então, não dá porque eu preciso buscar minha mãe na rodoviária”. desculpa envolvendo mãe é sempre desculpa boa, ninguém questiona desculpa envolvendo mãe, sua mãe tem aquela fama de ser meio imprevisível mesmo, é a desculpa de segurança, não tem como não colar. “ah, eu tô de carro, eu te levo lá, a gente busca ela”. você franze a testa porque por essa você não esperava. como assim vai contigo buscar a sua mãe? “ah, mas o ônibus costuma atrasar, tu não vai querer ficar preso lá”. tu sorri porque jogou na boa, jogou na simpatia, reforçou a dificuldade mas sem parecer má vontade, pareceu gentileza, pareceu que tava protegendo.

Continuar lendo

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, crise de meia meia idade, situações limite, Vacilo

Minhas mais sinceras desculpas

George-Michael-arrested-development-1359968-500-281

Um problema que eu tenho é que eu peço desculpas demais. Não sei bem explicar quando começou, não sei se tem a ver com questões de autoestima, se é um tique nervoso ou se eu apenas tenho o mais estranho caso de tourette reverso que a medicina já registrou – “então eu estava lá…ME DESCULPE…conversando com ela e…MIL PERDÕES GENTIL SENHORA…sobre o calor que estava fazendo…EU ASSUMO TODA A RESPONSABILIDADE…” – mas a verdade é que eu, desde a adolescência, peço desculpas com uma freqüência bem mais alta do que a do resto das pessoas.

Continuar lendo

18 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, Crônicas, crise de meia meia idade, séries canceladas, Vida Pessoal

Breves entrevistas com corretores hediondos

Como posso já ter comentado anteriormente, eu estou procurando um apartamento novo. Um tanto pela da necessidade de morar sozinho, um bocado por causa do reajuste proposto para o nosso atual apê – na casa dos 878, 3% – um pouco por conta do fato de que eu e Tarcisio finalmente entendemos que apenas em seriados americanos e vilas militares é comum que homens heterossexuais perto da faixa dos 30 anos morem juntos. Sério, as pessoas estranham e a garota do censo fez piadinhas. Não foi legal.

E como muitos de vocês provavelmente sabem, eu moro no Rio. Sim, o Rio, a proverbial cidade maravilhosa, dotada de um dos maiores custos de vida do país e onde, por conta da realização das olimpíadas e da copa, conseguimos levar a especulação imobiliária para o próximo nível, com quitinetes que tem preço de apartamentos de um quarto, apartamentos de um quarto que tem preço de apartamentos de dois quartos e apartamentos de dois quartos que tem valor estimado acima do PIB da Líbia e com os quais você poderia tranquilamente financiar dez anos de pesquisas sobre algum vírus ou reduzir em 10% a fome na África.

Continuar lendo

28 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, crise de meia meia idade, Gente bizarra, Mundo (Su)Real, Vacilo, Vida Pessoal