Arquivo da tag: séries canceladas

3 breves momentos de sutil terror no processo de interação humana

Parksandrec_Bendisaster

#a intimidade súbita: o ambiente é a academia, o aparelho é o supino, a carga é 40, mas o verdadeiro esforço vem quando o professor diz “vocês dois, revezando aqui”. você malha ali tem um ano, o cara já tava antes, mas vocês nunca trocaram uma palavra até esse momento e dá pra notar na feição dos dois que existia um plano quinquenal quase stalinista de manter as coisas assim. ele fala algo sobre regular o peso, você tira o fone pra responder, ele faz um comentário sobre a música na rádio, você tudo bem, aí ele ajuda a tirar um peso do caminho, você agradece. uma interação breve, uma interação simples, tudo bem menos pior do que você imaginava, você pensa. aí o professor comenta que a série tá boa, porque você tá bem suado, você diz que realmente transpira muito, é uma coisa que você tem, e aí o cara, que nunca tinha falado contigo antes e que pronunciou, nessa tarde, as três primeiras frases trocadas entre vocês dois, levanta a voz e diz “ISSO AÍ SUANDO DESSE JEITO QUANDO TRANSA DEVE SER UMA CHUVARADA DO CACETE NA CARA DA MINA, NÉ? ELA DEVE ACHAR QUE TÁ NUMA CACHOEIRA, PLOFT PLOFT SÓ ÁGUA, SÓ ÁGUA, É UMA DUCHA NA GAROTA”. “bem menos pior do que eu imaginava”, é a frase que você tinha dito pra você mesmo.

Continuar lendo

5 Comentários

Arquivado em Rio, Sem Categoria, situações limite, Vacilo, Vida Pessoal

3 grandes lições sobre prestação de serviços que o Rio de Janeiro pode ensinar ao resto do Brasil

Paciência é uma virtude: Vivemos em um mundo muito apressado. As pessoas correm nas ruas, as pessoas correm com seus carros, as pessoas correm na escada rolante do metrô, as pessoas correm nos escritórios e se você for distraído as pessoas correm com a sua mochila enquanto você volta do futebol no Leme. Em suma, um mundo muito apressado, como eu disse. Exatamente por isso são extremamente valiosas as boas lições sobre tranqüilidade e paciência que, por exemplo, os garçons cariocas tem a nos ensinar.

Tranqüilidade e paciência porque eles não tem pressa pra te atender, já que sabem que todo grande relacionamento é construído com calma. Isso faz com que, tal qual num enlace amoroso, durante um atendimento de restaurante carioca você passe por todas aquelas etapas que vão desde o primeiro contato visual, o flerte, a tentativa de chamar a atenção, até a troca de algumas palavras, o processo de conquista, chegando por fim, após cerca de 50 minutos, a receber seu prato na mesa. O que, ainda que possivelmente vá matar alguns de fome e fazer com que outros voltem atrasados pro trabalho, não deixa de ter a sua beleza e de servir de lição nestes tempos impacientes em que vivemos.

Continuar lendo

33 Comentários

Arquivado em Mundo (Su)Real, teorias, Top