Arquivo da tag: tenso

Mais dois casos clássicos dos double binds da vida

george michael

#Você organiza pelada e pelada é só amigos, pelada é só alegria. Futebol society, campinho gramado, barzinho do lado. Dois timinhos de seis, espaço pra trabalhar a bola, pensar na tranqüilidade, tocar pra quem tá mais bem posicionado, desenvolver a malícia desportiva. Timinho de fora pra manter competitividade, mas não completo, rola par ou ímpar pra ver quem fica. Durante dois meses tá de boa. Mês seguinte não tem timinho de fora, mas tá tranqüilo,corre mais, ainda que com menos seriedade porque sem sair você sabe como malandro fica. Um mês depois começa a ficar complicado de dar doze, tem que chamar galera da pelada anterior pra completar, mas tá de boa, é coisa do momento, janeiro é foda, geral de férias. Aí na outra semana só tem dez, maior correria, mas a pelada rola. Aí numa quarta chove e só tem seis, seis é foda. Na outra vão cinco, cinco é sacanagem. Falta dinheiro pra quadra, pelada mia, você fica puto. Manda email reclamando e pedindo pra cada um levar um amigo, pra pelada não morrer, email emocionado, usa a palavra “comprometimento” em itálico sublinhado. Chega quarta, cada um leva seis amigos. Pelada lotada, oito times de fora. Você pensa que agora tá bacana. Galera sai puta porque tinha gente demais e não rolava de jogar. Você pede pra galera confirmar no site antes de ir, pra isso não acontecer mais. Na outra semana tem seis pessoas. Depois tem cinco. Cinco é sacanagem. Você acaba com pelada. Organiza outra pelada. Outra pelada é só amigos, outra pelada é só alegria. Um dia você chega lá e só tem seis caras. Seis é foda.

Continuar lendo

12 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, citações, Desocupações, séries canceladas, teorias, Top, Vacilo

CDV – Centro de Desvalorização da Vida

“CDV, Centro de Desvalorização da Vida, meu nome é Adolfo, em que posso ajudá-lo?”

“Então…Bem…eu me chamo Gérson e eu…eu quero me matar, sabe? Mas eu não acho um bom motivo…vocês poderiam…não sei…me dizer algum?”

“Se matar, senhor? Bem, estamos aqui pra isso, pra ajudar o senhor nesse momento. O senhor é casado?”

“Sim, casado, bem casado”

“Sua mulher trai o senhor?”

“Não, não, é uma santa, a Maria”

“O relacionamento é sufocante, frustrante, desanimador?”

“Não, não, ela me faz muito feliz, sério”

“O senhor trabalha?”

“Aham, trabalho”

“O trabalho do senhor é sem perspectivas, torturante, cruel, com colegas insensíveis e um chefe maligno e manipulador?”

“Não, eu trabalho sozinho, em casa”

“O senhor se sente solitário?”

“Não, eu tenho uma boa família, tenho amigos, vários”

“Mas essa família do senhor nunca fez com quem o senhor se sentisse excluído, preterido, abandonado, ou lhe causou nenhum tipo de trauma ou rancor durante a sua infância?”

“Olha…eu acho que não…eu adoro a minha família…”

“Nem vida pessoal, nem trabalho e nem família, nada disso serve de motivo, senhor?”

“Olha…acho que nada…”

“…”

“O que houve?”

“Espere senhor. Estou abrindo os nossos protocolos de emergência. O caso do senhor é um pouco mais complicado do que parece. O senhor pode esperar alguns segundos?”

“Ah…claro…”

“Ok, vamos começar. O senhor gosta da Cláudia Rodrigues?”

“Quem? Cláudia Rodrigues? Tá falando da Diarista?”

“Isso, essa mesma, senhor. O senhor gosta?”

“Não…acho muito chata por sinal…”

“Então, senhor. A Diarista volta ao ar em 2010. Com o elenco original confirmado.”

“Ah, pára, você está de sacanagem…mas pelo menos vai sair do ar…”

“Não, não senhor. Toma lá dá cá vai continuar sendo exibido, os dois vão coexistir na grade de programação”

“A Diarista e Toma lá dá cá, você está falando sério?”

“Sério como a morte, senhor”

“…”

“Senhor?”

“…”

“Senhor?”

“tu tu tu tu tu tu…”

“O CDV agradece e sua ligação e lhe deseja um bom dia…”

1 comentário

Arquivado em Crônicas, Desocupações, Mundo (Su)Real