Arquivo da tag: teorizando

3 grandes neuroses aleatórias sobre possíveis causas para um término

sarah_marshall

O retorno do rei – O passado era passado, o que terminou ficou pra trás e o que importava era o futuro, ela disse quando vocês se conheceram. Daí a sua despreocupação quando aquele ex-namorado que morava em outra cidade voltou e ela disse que eles iriam se encontrar, falar sobre os tempos da faculdade, tomar uma cerveja. Você, ocupado, sabe como é o trabalho, disse que não, que tudo ok, que ela fosse e se divertisse, você tinha outras coisas a fazer e nem ia ter muita graça, você não ia entender as piadas mesmo. E eles saem um dia, e eles saem outro dia, e num dado momento num futuro próximo ela senta na sua frente e diz que não dá mais, que ela está se sentindo culpada, que na verdade ela nunca esqueceu aquele cara, que não é nada contigo, mas o que eles sentem é real e pra sempre. E aí você percebe que na verdade não era o titular mas sim o reserva, que não era o protagonista mas sim o substituto, que não era o Romário mas sim o Viola, que se o seu namoro fosse o filme de volta para o futuro você não seria o Michael J Fox e sim o Eric Stoltz. Na noite seguinte, abraçado a uma garrafa de vodka, você procura o nome do Eric Stoltz no IMDB, vê os filmes que ele fez e chora bastante.   Continuar lendo

4 Comentários

Arquivado em crise de meia meia idade, homens trabalhando, séries canceladas, situações limite, teorias, Vacilo, Vida Pessoal

Breves teorias natalinas – Item #88

E chega o mês de dezembro e junto com ele o natal e suas tradições. Os panetones e as rabanadas, os frangos transgênicos e os supermercados com trilhas sonoras que claramente são versões baixadas em torrent daqueles discos de natal que a Som Livre vendia por telefone em meados da década de 90, os tios do pavê e as piadas sobre músicas da Simone que já não eram muito originais na época em que as pessoas ainda faziam cara de surpresa quando alguém vinha contar que o Papai Noel tinha sido inventado pela Coca-Cola (“por isso ele se veste de vermelho, sabia?”). E claro, entre todas essas coisas que não podem faltar no natal estão elas, as lembrancinhas. Continuar lendo

13 Comentários

Arquivado em é como as coisas são, crise de meia meia idade, situações limite, teorias